irrigação - aspersão

Aspersão: método de irrigação recomendado para cultivos perenes pode ser usado em lavouras de grãos

No sistema de irrigação por aspersão fixo, que é o mais utilizado, o custo de manutenção é baixo e a vida útil superior a 15 anos

O investimento em irrigação pode ajudar o produtor a melhor os resultados da safra sem depender 100% das condições climáticas. No mercado brasileiro existem diferentes tecnologias de irrigação, como gotejamento, pivô central e aspersão, que podem colaborar com os avanços da produção agrícola. Leia também: irrigação pode crescer 45% e chegar a 10 milhões de hectares até 2030.

 

Mas, antes de escolher um método, o produtor tem que saber quais resultados quer alcançar. E antes de se tornar um irrigante, também é preciso entender quais são as vantagens de cada sistema e dimensionar as necessidades da fazenda para encontrar a melhor solução. Leia também: Energia elétrica custará menos para irrigadores.

 

Irrigação por aspersão

Uma das opções que o mercado oferece é a aspersão convencional, que também pode ser utilizada nas lavouras de milho e soja, embora o método seja mais recomendado para cultivos perenes e estufas. Com aspersores de pequeno alcance consegue-se irrigar áreas a partir de 500 metros quadrados. Leia também: Irrigaweb: curso online gratuito da Embrapa sobre manejo de irrigação.

 

De acordo com o engenheiro agrônomo Carlos Barth, suporte agrotécnico da NaanDanJain Brasil, empresa que atua na irrigação por aspersão e gotejamento, a principal diferença em relação ao pivô central é a potência e eficiência no consumo de água. “A eficiência de um sistema de irrigação por aspersão bem projetado e corretamente instalado chega a 80%”, diz Barth.

 

Investimento em aspersão

Segundo a NaanDanJain, o custo por hectare varia muito de acordo com o projeto e a área prevista para a irrigação. O produtor rural deve considerar os gastos com motobomba e seus complementos, como sucção e chave de partida.

 

Em projetos de sistema de irrigação por aspersão automatizados, o custo gira em torno de R$ 8.000 por hectare e para sistemas manuais, o investimento se aproxima de R$ 6.000 por hectare. Segundo Barth, no sistema de irrigação fixo, que é o mais utilizado atualmente, o custo de manutenção é baixo, com vida útil superior a 15 anos.

 

Aspersão convencional

Área mínima: 500 metros quadrados

Tempo de instalação: 0,6 hectare por dia

Requisito para instalar: não há restrições

Custo: a partir de R$ 6 mil (manual) e R$ 8 mil (automatizado)

Retorno: em uma ou duas safras, a depender da cultura

Vida útil: mais de 15 anos

 

Leia mais