DATA: 07/10/2015

Tempo seco atrasa o plantio da safra de soja 2015/2016

O fenômeno El Niño deverá causar chuvas acima da média na região Sul e seca na região Nordeste do País Darlene Santiago

A temporada de plantio da soja brasileira teve início na segunda quinzena de setembro. Porém, a semeadura ainda não avançou satisfatoriamente devido às condições meteorológicas. No Mato Grosso, o maior Estado produtor da oleaginosa, que responde por mais de 30% da produção da soja brasileira, o tempo seco está atrasando o plantio.

 

Por isso, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) recomendou que os sojicultores tenham cautela e esperem condições climáticas favoráveis para que se evite o trabalho de replantar as lavouras. Segundo o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), até o primeiro dia de outubro, houve plantio em cerca de 153 mil hectares, enquanto na safra passada a área semeada no Mato Grosso foi de 408,6 mil hectares nesse período. A expectativa é de que a área plantada com soja no Estado seja de 9,2 milhões de hectares na safra 2015/2016.

 

No entanto, esse problema logo terá fim. Segundo o meteorologista Thiago Robles, da Somar Meteorologia, não há motivo para desespero. “É verdade que temos um plantio mais lento, porém a situação vai se normalizar em breve”, diz ele. “A partir da segunda quinzena de outubro, teremos um retorno gradual das chuvas. As chuvas vão se sustentar, com volumes bem distribuídos ao longo dos meses.”

 

No dia 07 de outubro, o Instituto Nacional de Meteorologia (“Instituto Nacional de Meteorologia” – Inmet) confirmou esse parecer. A entidade divulgou alerta de previsão de chuvas intensas para vários municípios do Mato Grosso, Rondônia, e o Rio Grande do Sul. A previsão de tempo para os próximos dias no Centro-Oeste vai possibilitar o avanço acelerado dos trabalhos no campo.

 

No Mato Grosso do Sul, Estado vizinho ao Mato Grosso, o tempo está em condições normais e o plantio segue firme. De acordo com a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MS), 6,4% da área já foi semeada, de um total de 2,4 milhões de hectares que serão plantadas com soja na safra 2015/2016. Na região Sul do Brasil, as condições climáticas favorecem a safra de soja. No Paraná, o segundo maior Estado produtor de soja, chuvas abundantes ajudaram a recompor a umidade do solo, permitindo o avanço do plantio do grão.

 

Segundo Paulo Sentelhas, professor de agrometeorologia da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), o atual cenário é causado pelo fenômeno El Niño. O aquecimento nas águas do Oceano Pacífico altera o regime de chuvas em várias regiões do Brasil. “A região Centro-Oeste e parte da região Sudeste do Brasil ficam localizadas numa zona de transição climática, onde é difícil prever as consequências do El Niño. Pode chover acima ou abaixo do normal. O grau de incerteza é muito grande”, diz Sentelhas. “Podemos dizer apenas que há uma tendência de chuvas acima da média na Região Sul e de clima mais seco na região Nordeste.”

 

Para Robles, o fenômeno é positivo. “O El niño traz o melhor cenário para a primeira safra brasileira. O fenômeno vai garantir uma boa distribuição de chuvas nas principais regiões produtoras de grãos”. Porém, segundo ele, não se sabe quais serão os seus efeitos no próximo ano. “O El niño poderá perder força e prejudicar a segunda safra de milho.”


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.