Lavoura de soja. Farming Brasil. SF Agro. calculadora.

Sojicultores estão preocupados com o aumento do custo de produção

A despesa com fertilizantes saltou de R$ 702,58 por hectare, na temporada 2015/2016, para R$ 764,30 por hectare na safra 2016/2017

No último boletim divulgado pelo Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea), no dia 21 de março, a entidade alertou para o aumento do custo de produção na cultura da soja, que já vem preocupando os produtores. Segundo o levantamento, deve haver um aumento do custo de produção da ordem de 12% na safra 2016/2017, principalmente por causa da alta do dólar. A projeção indica que o produtor matogrossense deve gastar, em média, R$ 3.306 por hectare de soja.

 

Em outras regiões do Brasil não é diferente. No município de Lagoa Vermelha, no Rio Grande do Sul, o produtor Luiz Fernando Fontana está buscando equilibrar as finanças entre as safras 2015/2016 e 2016/2017.  No momento, ele tem 1.000 hectares de soja para colher até o fim de abril na fazenda Granja Fontana. A expectativa é aumentar a produtividade da propriedade, que na safra passada ficou entre 60 e 65 sacas por hectare. Para ele, o grande diferencial desta temporada será a tecnologia usada por cada sojicultor. “Apesar do veranico em janeiro, eu acredito que a safra será normal”, diz Fontana. “Vai variar muito de propriedade para propriedade e dos produtos usados.”

 

A recomendação é adiantar a compra de insumos

Embora a colheita desta temporada tenha começado na última semana de março, Fontana já se adiantou na compra de insumos para a safra 2016/2017. Segundo ele, todos os produtores estão preocupados com o custo de produção. “Com a nossa economia do jeito que está, nós não sabemos como vai ser o dia de amanhã”, afirma.

 

As projeções para os custos não são boas, na opinião do produtor. Fontana conta que no começo de março comprou fertilizantes e sentiu um aumento de pelo menos 20% nas despesas, em comparação com o ano anterior. De acordo com o Imea, no Mato Grosso, o custo do fertilizante aumentou de R$ 702,58 por hectare, na temporada 2015/2016, para R$ 764,30 por hectare na safra 2016/2017.

 

Para Fontana, diminuir os custos cortando investimentos em defensivos agrícolas não é uma opção. “Se você diminuir a tecnologia, você vai diminuir a produtividade, não vale a pena”, afirma. “Não tem como fugir desse custo, não tem como não aplicar fungicida e inseticida.” Com a variação do dólar nas últimas semanas, o produtor conta que em alguns lugares preço pago pela saca de soja já registra R$ 10 de diferença, oscilações que podem prejudicar a rentabilidade do produtor.

 

De acordo com o Imea, os produtores devem se preocupar com o câmbio na safra 2016/2017. O valor do dólar durante as negociações podem definir se haverá lucro ou prejuízo. “Os produtores devem ficar bem atentos às oportunidades geradas pelas oscilações do dólar para travar não só seus custos como as vendas da nova safra”, recomenda o Imea.

 

Leia também:

Preços da soja apresentam movimentos distintos entre regiões

No Rio Grande do Sul, a colheita da soja chega a 10% da área cultivada

Ferrovias da Rumo transportam o equivalente a um navio de soja por dia

Seca faz produtividade de soja despencar 12% no Matopiba, diz INTL

 

Deixe seu comentário

Leia mais