DATA: 18/12/2015

Sistema de energia solar fotovoltaica colabora na irrigação de lavouras

Na propriedade do produtor Ênio Coelho do Evangelho, no Rio Grande do Sul, foram instaladas 32 placas, com um potencial para geração de 10.500 KWats por hora

O produtor Ênio Coelho do Evangelho e a esposa Vera, da localidade de Cacimbas, em Mostardas, receberam agricultores e autoridades para demonstrarem o sistema de energia solar fotovoltaica. O sistema instalado tem como objetivo irrigar as lavouras de soja e arroz e gerar energia para o funcionamento de silos de alvenaria, onde grãos são armazenados e secados.

 

Na propriedade de Evangelho foram instaladas 32 placas, que oferecem um potencial para geração de 10.500 KWats por hora ao ano. Ao conjunto de placas são conectados cabos subterrâneos, por onde passa a energia solar captada, que é conduzida para um inversor e para a rede. A partir daí, a energia gerada pode ser usada para o silo e a irrigação de arroz e soja. A energia gerada por esta estrutura equivale, mais ou menos, ao consumo de cinco casas”, esclareceu Kraemer.

 

O investimento feito por Ênio foi de R$ 150 mil, sendo R$ 48 mil destinados à energia fotovoltaica, R$ 77 mil para a construção e reforma de silos, a confecção de um galpão e a compra de equipamentos para aeração e movimentação de grãos.

 

Dentre as autoridades presentes no evento, realizado na quarta-feira (16/12), estavam o presidente da Emater/RS, Clair Kuhn, o gerente regional da Emater/RS-Ascar em Porto Alegre, Ademir Santin, o secretário municipal de Agricultura, Adelino Silveira, além de representantes de agências bancárias e dos sindicatos rural e dos trabalhadores rurais.

 

Kuhn afirmou que a Instituição vai continuar proporcionando a capacitação dos extensionistas para que atendam de forma qualificada os agricultores, levando informações e proporcionando o desenvolvimento e a geração de renda para as famílias. Segundo o presidente, a energia solar favorece a autonomia e o retorno econômico no meio rural, servindo de exemplo para outras regiões do Estado.

 

O engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Guilherme Martins Costa, contou que os silos de alvenaria armada são uma solução para a média e pequena propriedade rural, em vista de que, no Brasil, é alto o índice de perdas de grãos pós-colheita. Costa ressaltou ainda que existem políticas públicas federais e estaduais para o investimento em silos, como o Mais Alimentos e o Mais Grãos.

 

A Emater/RS-Ascar auxilia na elaboração do projeto e da planta, mas é preciso considerar que para um bom desempenho os silos têm que ser baixos e com grande diâmetro. Esse é um investimento importante para o produtor e nós temos tecnologia disponível para isto, com custo baixo, e há disponibilidade de crédito, ressaltou o agrônomo.

 

Já o também engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar de Mostardas, Matias Kraemer, esclareceu que no meio rural a qualidade e a quantidade de energia disponibilizada são os principais problemas enfrentados e que a energia solar é uma boa alternativa para garantir a autonomia das famílias e o retorno econômico.

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais