Sistema contra a fraude do leite é testado no Rio Grande do Sul

Os principais fatores a serem avaliados nos próximos anos serão rentabilidade, segurança, identificação e a viabilidade para aplicação

Na última quinta-feira (17/12), técnicos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) apresentaram o sistema de coleta automatizada de amostras de leite, parceria entre Sindilati e Cosulati, com o apoio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação. Durante um prazo de dois anos serão testados programas que prometem gerar uma análise precisa do leite ainda no caminhão. A apresentação aconteceu na sede da Embrapa de Capão do Leão (RS), onde está instalado um dos 10 laboratórios de análise de qualidade do leite do Brasil.

 

Segundo o secretário Ernani Polo, que acompanhou as atividades, esse período de testes é importante para ver se haverá homogeneidade entre as amostras, levando em consideração os diferentes volumes que serão transportados. “É possível que não precisemos esperar esses dois anos. Assim que tivermos a sinalização que o sistema funciona já poderemos começar a implantação aqui no Estado”, diz o secretário.

 

Serão testadas nesse período cerca de 20 mil amostras de leite. Também será comparado o material colhido automaticamente com aqueles obtidos pelos transportadores. Os equipamentos testados na Embrapa possibilitarão fazer uma leitura do leite que será transportado.

 

Segundo técnicos da Embrapa, será possível calcular automaticamente volume, temperatura, horário da coleta, além de fazer o georreferenciamento do produto e ainda os dados do transportador, da indústria e do produtor. Nesses dois anos os principais fatores a serem avaliados serão rentabilidade, segurança, identificação e a viabilidade para aplicação.

 

 

Deixe seu comentário

Leia mais