Setor de aves e de suínos registrou recorde de abates no ano passado

Esses produtos também tiveram um peso importante no aumento da produção total de proteína animal

Foram os bons preços do frango em 2015 e cotações de suínos favoráveis em 2014 que levaram a abates recordes desses animais no ano passado. Segundo o coordenador-geral para Assuntos da Pecuária do Ministério da Agricultura, João Salomão, outro fator que explica os bons resultados está na ponta final, ou seja, na escolha de compra do consumidor. A carne bovina subiu de preço em 2015, e os brasileiros preferiram comprar frango e carne de porco. “O aumento no consumo de carne de frango é uma tendência mundial como alternativa ao maior custo da carne bovina”, diz Salomão.

 

De acordo com o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o abate de suínos teve alta de 5,7% no ano passado em relação a 2014. Mais de 39 milhões de cabeças foram abatidas – o maior número desde 2005. Já em relação ao frango, o abate cresceu 5,4%, também um recorde (5,79 bilhões de cabeças).

 

Os dados do IBGE mostram que os recordes no abate de suínos e frangos contribuíram para um ligeiro aumento, 1,2%, da produção total de carnes no país em 2015, na comparação com o ano anterior, chegando a 24 milhões de toneladas. O coordenador-geral para Assuntos da Pecuária acrescenta que, nos últimos 10 anos, o Brasil aumentou a produção de carnes em 15%.

 

Deixe seu comentário

Leia mais