Senar pretende firmar parceria com o governo norte-americano

A ideia é promover bolsas de estudo e intercâmbio de professores e alunos da Faculdade CNA e universidades norte-americanas

O secretário executivo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Daniel Carrara, e o vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Bahia (FAEB), Humberto Oliveira, encerraram a semana de visitas a Washington, com reunião no Departamento de Estado do governo norte-americano para mostrar as possibilidades de parceria entre a instituição e os diversos programas educacionais que os Estado Unidos mantém com o Brasil.

 

Daniel Carrara frisou que um dos programas a ser avaliado por ambas as partes é a concessão de bolsas de estudo e intercâmbio de professores e alunos entre a Faculdade CNA e as universidades norte-americanas. Também conversaram sobre problemas, como o aumento da produção de alimentos para fazer face ao aumento da população mundial.

 

Em conversa com Lia Miller e Robert Schwartz, do Brazil Desk, setor responsável pelas relações com o país, Carrara mostrou as atividades do Senar em todo o Brasil, destacando o plano de ampliação da assistência técnica para mais de 40 mil produtores brasileiros, com treinamento de 2 mil técnicos. Segundo ele, o custo de cada técnico foi calculado em cerca de R$ 4 mil/ano.

 

 

No mesmo dia, Daniel Carrara e Humberto Oliveira visitaram a sede do Atlantic Council, também em Washington, uma das maiores organizações norte-americanas de debate de temas da atualidade, recomendando e divulgando estudos tanto nos Estados Unidos como em todo o mundo.

 

Em reunião com o diretor Peter Schechter, foi analisada a possibilidade da entidade fazer um evento internacional em maio ou junho de 2016 sobre como a assistência técnica é decisiva para o aumento de produtividade, a queda do desmatamento, a agricultura de baixo carbono e a redução dos efeitos da mudança climática. O Atlantic Council deseja que entidades internacionais de fomento, como o BID e o Banco Mundial, participem do evento, bem como formadores de opinião e a mídia especializada nos Estados Unidos.

 

Deixe seu comentário