Seminário discute indicação geográfica de produtos agropecuários

A indicação atribui reputação, valor intrínseco e identidade própria, além de distingui-los de produtos similares do mercado

A valorização dos produtos agropecuários através da indicação geográfica será debatida nesta terça-feira (22) em um seminário no município gaúcho de Vacaria, na região dos Campos de Cima da Serra. O encontro é promovido pela Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Rio Grande do Sul (SFA/RS), em parceria com entidades do setor produtivo. Agricultores, pesquisadores, professores, técnicos, estudantes e outros interessados deverão participar das palestras e debates, que começam pela manhã e se estendem até o final da tarde.

 

O registro de indicação geográfica é concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) a produtos ou serviços característicos do seu local de origem, o que lhes atribui reputação, valor intrínseco e identidade própria, além de distingui-los em relação aos similares do mercado. O Rio Grande do Sul tem dez indicações geográficas para produtos agropecuários como vinho, carne bovina, arroz e couro acabado.

 

O seminário “Valorização de produtos agropecuários: indicação geográfica, marcas coletivas e produção integrada agropecuária” começa às 9h40 na Casa do Povo (Rua Borges de Medeiros, 1987), em Vacaria. Entre os temas, produção integrada para o desenvolvimento agropecuário e certificação na agricultura brasileira.

 

As palestras serão feitas por técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e de empresas públicas das áreas de pesquisa agropecuária, extensão rural e assistência técnica, propriedade industrial e metrologia, qualidade e tecnologia, além de representantes de cadeia produtivas agrícolas. Veja aqui a programação do seminário.

 

Produção integrada

Na próxima quarta-feira (23), a comissão estadual de produção integrada do Rio Grande do Sul se reúne em Porto Alegre. Durante a reunião, serão criadas comissões e estabelecidas as metas para o trabalho, segundo Edna Ferronatto, pesquisadora em tecnologia e ciências agrícolas da SFA/RS e presidente do Fórum de Indicações Geográficas e Marcas Coletivas para o RS.

 

A produção integrada agropecuária busca a adequação de sistemas produtivos para geração de alimentos e outros produtos agropecuários de alta qualidade e seguros, mediante a aplicação de recursos naturais e regulação de mecanismos para a substituição de insumos poluentes, garantindo a sustentabilidade e viabilizando a rastreabilidade da produção agropecuária.

 

O modelo de produção integrada prevê certificação voluntária por meio do qual o produtor interessado tem um conjunto de normas técnicas específicas a seguir. O cumprimento dessas recomendações é auditado nas propriedades rurais por certificadoras acreditadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

 

Deixe seu comentário

Leia mais