DATA: 23/11/2015

Seagri quer estruturar a cadeia do coco para gerar mais empregos e renda

A Bahia é o maior produtor de coco do Brasil, com área plantada de 75,8 mil hectares e produção estimada em 554 milhões de frutos por ano

Ampliar a produção dos derivados do coco, gerar mais empregos e intensificar o desenvolvimento econômico e social do município baiano de Conde e região é o objetivo da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri). “Essa atividade tem grande potencial de crescimento, além de importante representatividade na economia do Estado”, afirma o superintendente de Política do Agronegócio da Seagri (SPA), Guilherme Bonfim.

 

Segundo Bonfim, através do Plano Estadual do Coco, a Seagri está trabalhando para estruturar a cadeia do coco, visando à ampliação da agroindustrialização e consequente geração de mais empregos e renda. “A agroindustrialização potencializa a agropecuária baiana, que ocupa primeiro lugar no ranking de produção de diversas culturas agrícolas como o coco, manga, sisal, cacau, guaraná, mamona, mamão e maracujá. Além de gerar emprego e renda para a população, e incrementar a economia local”, diz Guilherme Bonfim.

 

A Bahia é o maior produtor de coco do Brasil, com área plantada de 75,8 mil hectares e produção estimada em 554 milhões de frutos por ano, Estado estratégico para acolher as fazendas Arantiaca Agrícola e a Frysk Industrial. Esses empreendimentos têm significativa expressão para economia da região, gerando cerca de 500 empregos diretos e três mil indiretos, formada por 96% de mão de obra local, capacitada pela empresa.

 

Incentivado pela política de atração de agroinvestimentos do governo do Estado desenvolvida pela Seagri, o grupo holandês Aurantiaca iniciou sua instalação na Bahia em 2006, com aquisição das fazendas de plantação de coco Bú e São Bento da Barra, que margeiam a BA-099, na divisa dos municípios de Esplanada e Conde.

 

As fazendas da Aurantiaca desenvolvem um sistema único de irrigação computadorizado por planta, respeitando a necessidade hídrica de cada uma, com equipamentos modernos, trazidos de Israel, de fertirrigação (aplicação de fertilizantes através da água de irrigação). A fazenda também possui pequeno laboratório de análises de solos e monitoramento fitossanitário.

 

Além de fabricar água de coco e sucos saborizados à base da bebida em embalagens tetra park, a companhia produz, através da fibra do coco seco, biomantas utilizadas na recuperação ambiental. Atualmente, 50% do coco verde e seco utilizado pelo fabricante é produzido nas fazendas Obrigado 1 e 2, e a outra metade comprada dos produtores de Conde e região.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.