DATA: 05/02/2016

Rondônia se mobiliza para impulsionar a piscicultura

Estado quer difundir os benefícios do consumo do pescado, principalmente das espécies nobres, como o pirarucu, o pintado e o tambaqui

O secretário estadual da Agricultura, Evandro Padovani, afirmou que Rondônia é atualmente o maior produtor de peixe nativo em cativeiro do Brasil. Ele esteve reunido com representantes de vários órgãos da administração estadual e federal, focados na elaboração de políticas de criação, sanidade, industrialização, comercialização e divulgação do pescado, tanto no Estado quanto no País.

 

“Todos os peixes que comercializamos e consumimos são criados em cativeiro, pois os que vivem livres nos rios, a exemplo do pirarucu, são protegidos pela legislação porque estão em extinção”, diz Padovani.

 

De acordo com o gerente de Aquicultura e Pesca da Seagri, Jander Plaça, a exemplo da Agir [Agenda Integrada de Resultados, software que acompanha e monitora as ações globais do governo de Rondônia], está sendo criada a Agir do Peixe para acompanhar cada uma das etapas das ações sob a responsabilidade dos órgãos envolvidos na cadeia produtiva do pescado.

 

As reuniões da Agir do Peixe fazem uso de uma ferramenta de informática que permite a visualização e o andamento detalhado de cada ação, dirimindo gargalos e coordenando todos os processos necessários para a consolidação de políticas para criação, sanidade, industrialização, comercialização e divulgação do pescado de Rondônia.

 

Para incentivar o consumo do peixe pela população, a divulgação, coordenada pelas Superintendências Estaduais de Turismo (Setur), de Desenvolvimento (Suder) e de Comunicação Social (Secom), terá foco em restaurantes, bares, rodoviárias, aeroportos, pousadas e hotéis, por meio de visitas e campanha nas mídias sociais, impressos, rádio e TV, difundindo os benefícios do consumo do pescado, principalmente das espécies nobres, como o pirarucu, o pintado e o tambaqui, criados em tanques redes com alimentação balanceada e acompanhamento técnico da Emater e da Embrapa.

 

A conscientização passa também pela adequação e destaque na visibilidade dos peixes de Rondônia nos balcões frigoríficos e expositores de supermercados e congêneres, para que a população possa diferenciar a qualidade do pescado fresco e produzido pelos piscicultores do Estado. “O nosso peixe é muito mais nutritivo, possui mais ômega três, seis e nove que os trazidos de outros Estados, e mesmo do exterior”, afirma Ilce Oliveira, superintendente federal da Pesca em Rondônia, representante do Ministério Agricultura (Mapa).

 

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.