Suinocultura
DATA: 26/02/2016

Rio de Janeiro será reconhecido como área livre de peste suína clássica

Desde 2015, a peste suína clássica (PSC) passou a integrar a lista de doenças de reconhecimento oficial da OIE

O Rio de Janeiro está próximo do reconhecimento internacional de Zona Livre de Peste Suína Clássica. A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) recebeu solicitação apresentada pelo Brasil com os resultados de exames sorológicos realizados nos criatórios de suínos fluminenses e de mais 12 Estados (Acre, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, São Paulo, Sergipe e Tocantins) e do Distrito Federal. A Comissão científica da Organização concluiu que o pleito cumpre os requisitos necessários para o reconhecimento dessas unidades da federação como zona livre da doença.

 

De acordo com a Defesa Agropecuária, da secretaria estadual de Agricultura, no período de 2013 a 2015 foram realizadas coletas de amostras de sangue de suínos de criatórios de subsistência e de granjas totalizando quase duas mil e 200 análises de material.

 

“Com resultados que apontam para a ausência da circulação do vírus em seu território, o Rio de Janeiro está próximo de juntar-se aos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, que em maio do ano passado, receberam a certificação internacional para este status sanitário. Juntos os dois estados respondem por quase 70% da exportação de carne suína do País”, conta o superintendente de Defesa Agropecuária, Paulo Henrique Moraes.

 

Desde 2015, a peste suína clássica (PSC) passou a integrar a lista de doenças de reconhecimento oficial da OIE, juntamente com febre aftosa, peste bovina, pleuropneumonia contagiosa dos bovinos, encefalopatia espongiforme bovina (doença da vaca louca), peste dos pequenos ruminantes e peste equina. A partir de então, o reconhecimento de País ou área livre da doença é obtido através de certificação da agência internacional. O documento auxilia na exportação da carne para mercados internacionais.

 

Para o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, a possibilidade de mais esta conquista, reconhecida pelo Ministério da Agricultura, é resultante do comprometimento da equipe de técnicos da Defesa Agropecuária, com a realização do trabalho de vigilância nas propriedades rurais do estado. A Peste Suína Clássica, doença causada por um vírus, é altamente contagiosa, provoca febre alta, manchas avermelhadas pelo corpo, paralisia nas patas traseiras, dificuldades respiratórias e pode levar à morte do animal.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.