DATA: 30/12/2015

Retrospectiva do agronegócio 2015

Confira 14 notícias do campo que marcaram o ano Naiara Araújo

O ano de 2015 foi marcado pelas incertezas, provocadas pela crise econômica e política. Além da instabilidade climática causada pelo fenômeno El Niño, os produtores rurais tiveram o desafio de lidar com o salto na cotação do dólar e custos de produção crescentes, ao passo que tiveram mais dificuldade na contratação de crédito.

 

Apesar dos desafios, o agronegócio encerra o ano de 2015 com um saldo positivo, segundo Luiz Carlos Corrêa Carvalho, presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag). “Tivemos sucessos constantes, mesmo em desgoverno”, afirma ele.

 

Para Coriolano Xavier, vice-presidente de Comunicação do Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS), com o avanço da Integração Lavoura-Pecuária Floresta, o Brasil vai se destacar como um modelo de agronegócio sustentável. “Será um dos fatores de eficiência que, inclusive, deve marcar os próximos anos”, afirma. “O agro já vinha sendo um dos agentes essenciais pró-sustentabilidade. Com os desafios que temos agora com o acordo da COP 21, vai ser setor chave para buscarmos as metas acenadas em Paris.”

 

A Successful Farming Brasil ouviu lideranças do setor para listar os principais fatos que marcaram o ano. Relembre as notícias:

 

1 – Kátia Abreu assume o Ministério da Agricultura

O ano de 2015 começou com uma nova liderança no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Kátia Abreu foi a primeira mulher a ocupar o cargo de ministra da agricultura, assumindo a pasta em janeiro. Em ano de crise econômica, Kátia Abreu se destacou nas negociações e deu boas notícias ao setor, entre elas o aumento dos recursos destinados ao Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2015/2016, com um orçamento recorde de R$ 187,7 bilhões.

 

2 – Maranhão favorece o escoamento de grãos

Em março, tiveram início as operações do Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram), no porto de Itaqui (MA). O terminal tem uma importância estratégica para facilitar o escoamento da produção brasileira de grãos. Ao longo do ano, 52 navios deixaram o Brasil com 2,14 milhões de toneladas de soja, 754,1 mil toneladas de milho e 138,7 mil toneladas de farelo de soja, superando a expectativa de embarcar três milhões de toneladas de grãos. Obras previstas para os próximos anos aumentarão a capacidade de exportação do terminal para 10 milhões de toneladas até 2018. Saiba mais clicando aqui.

 

3 – Cultivance

A Embrapa e Basf lançaram em agosto o Sistema de Produção Cultivance, tecnologia que contém a primeira soja geneticamente modificada totalmente brasileira.  A tecnologia combina a utilização de cultivares de soja com herbicida de amplo espectro de ação para o manejo de plantas daninhas de folhas largas e estreitas. Relembre o lançamento.

 

4 – A safra de soja mais cara do Brasil

Em setembro, os produtores brasileiros iniciaram o plantio da safra de soja mais cara já registrada no Brasil. Com a crise econômica e política, a safra 2015/2016 é marcada pelas incertezas e uma forte oscilação cambial. No dia 24 de setembro, o dólar chegou a valer R$ 4,24. Confira a reportagem clicando aqui.

 

5 – El Niño atrapalha a sojicultura         

O fenômeno climático El Niño, que causou instabilidade no regime de chuvas no Estado do Mato Grosso, fez com que o Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea) revisasse suas previsões. Além de atrasar a semeadura, a instabilidade climática está provocando uma redução na produtividade da soja. A produtividade, que era esperada em 52,6 sacas por hectare, caiu para 50,8 sacas por hectare. Veja a notícia clicando aqui.           

 

6 – Greves

Os Fiscais Federais Agropecuários entraram em greve em várias regiões do País em setembro. A paralisação atrasou aos embarques nos portos e aeroportos brasileiros. Entre as revindicações do setor estavam o pedido de valorização da carreira, de reposição das perdas inflacionárias e por mais concursos públicos. Leia mais clicando aqui.

 

7 – Trigo gaúcho perde qualidade

As últimas cargas retiradas das lavouras confirmam um péssimo cenário para a triticultura no Rio Grande do Sul. Além das fortes chuvas, houve queda de granizo e ventos fortes, com formação de geada tardia, quando a cultura estava em formação do grão. Se levada em conta a estimativa inicial para esta safra, de 2,269 milhões de toneladas, e a produção total de 1,489 milhão de toneladas, a perda foi de 34,38%. Confira a notícia completa.

 

8 – Samarco

Após a tragédia causada pelo rompimento de duas barragens da mineradora Samarco, em Mariana (MG), a lama com rejeitos de minério de ferro já comprometeu mais de 300 quilômetros do Rio Doce e segue se espalhando. Para tentar minimizar o impacto ambiental, pescadores e outros profissionais voluntários criaram a “Operação Arca de Noé”, com o objetivo de transferir os peixes do rio contaminado para lagoas da região. Veja aqui.

 

9 – Vitória para os cacauicultores baianos

O ano de 2015 foi especial para a cacauicultura da Bahia, o maior Estado produtor da amêndoa. Depois de 26 anos afastada do mercado mundial, prejudicada pela incidência da vassoura-de-bruxa, a Bahia voltou a exportar o produto. O embarque de 6,6 mil toneladas de amêndoas de cacau, avaliadas em R$ 15 milhões, deixou os cacauicultores baianos animados em 2015. Leia sobre a vitória aqui.

 

10 – Novos mercados para a carne bovina

A cadeia da carne bovina conquistou novos mercados em 2015. Os principais destaquem foram: a liberação para a exportação de carne in natura de 14 Estados brasileiros para os Estados Unidos e o início dos embarques para a China. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), a perspectiva é que o faturamento chegue a US$ 7,5 bilhões em 2016. Saiba mais.

 

11 – Recorde para aves e Suínos

A avicultura e a suinocultura foram prejudicadas pelo aumento dos custos de produção, em especial no segundo semestre, com a alta dos preços do milho e da soja. No entanto, esses setores registraram recordes na produção e nas exportações de frangos, na produção e consumo de suínos e na produção e consumo de ovos. Leia a notícia completa clicando aqui.

 

12 – O acordo da sustentabilidade

Aconteceu em dezembro a 21ª reunião da Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (COP21). O evento resultou no Acordo de Paris que tem como objetivo reduzir as emissões de gases de efeito estufa, a partir de 2020, para conter o aquecimento global. O agronegócio brasileiro está comprometido com e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) listou algumas medidas que devem ser colocadas em ação, como a implementação de políticas públicas de reflorestamento e redução dos custos do financiamento para atividades sustentáveis.

 

13 – Seguro Rural

As estimativas para a subvenção do seguro rural ficaram abaixo da média dos valores desembolsados com o programa nos últimos três anos. Dados divulgados em novembro previam R$ 400 milhões para 2016, mas, no dia 16 de dezembro, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) aprovou R$ 841 milhões para o Programa de Subvenção ao Seguro Rural de 2016, aumentando em 110% a previsão inicial da proposta.

 

14 – Vendas de máquinas caem 33,7%

O setor de máquinas agrícolas, que registrou em 2013 um recorde histórico de vendas superior a 83 mil unidades, vem amargando uma retração no segmento. Segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), entre janeiro e novembro de 2015 foram vendidas 42,7 mil máquinas agrícolas e rodoviárias. O número representa um recuo de 33,7% nas vendas, se comparado com as 64,4 mil máquinas comercializadas no mesmo período do ano passado.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais