Ordenha
DATA: 25/02/2016

Projeto tem meta de aumentar leite produzido na região Central de Minas

As metas da Emater-MG e das entidades envolvidas são oferecer ações para acesso a tecnologias e políticas públicas

A Embrapa tem se engajado no projeto “Circuito Tecnológico da Pecuária Leiteira”, desenvolvido desde abril de 2015 pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) com o objetivo de atender 340 produtores de leite em 18 municípios da região Central de Minas Gerais.

 

Os recursos são do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). As metas da Emater-MG e das entidades envolvidas são oferecer ações para melhoria da gestão das propriedades, com acesso a tecnologias e políticas públicas que resultem no aumento de renda e na sustentabilidade dos sistemas de produção.

 

Os resultados obtidos na safra 2015/2016 estão sendo apresentados desde o início de fevereiro em 17 eventos técnicos em que vêm sendo abordados temas como a recuperação de pastagens no sistema integração lavoura-pecuária, a implantação de canaviais, o processo de ensilagem, a melhoria da qualidade do leite, a conservação do solo e da água, a utilização de cultivares de milho e sorgo melhoradas geneticamente, a melhoria da alimentação do rebanho, o pastejo rotacionado e outras tecnologias executadas pelos produtores assistidos pela Emater-MG e pelas instituições de pesquisa.

 

Projeto segue metodologia participativa

A região Central de Minas Gerais é uma importante bacia leiteira do Estado, de onde se obtém aproximadamente 16% do total do leite produzido anualmente. A atividade está presente em praticamente todos os municípios de Minas, sendo que, segundo dados do Censo Agropecuário do IBGE de 2010, de cada duas propriedades, uma produz leite.

 

“Isso demonstra a importância dessa atividade para a geração de emprego e renda não só no meio rural, mas em todos os segmentos envolvidos nessa cadeia produtiva”, afirma o agrônomo Walfrido Machado Albernaz, da Emater-MG.

 

Segundo ele, a execução das ações foi fundamentada a partir de reuniões com grupos de produtores e lideranças locais em 18 municípios do Centro de Minas, com o objetivo de diagnosticar os principais problemas da pecuária leiteira e planejar as ações prioritárias, “sempre contemplando a participação e deixando a cargo do grupo de produtores a decisão das ações a serem implementadas”.

 

“Esse planejamento tem norteado os projetos coletivos e iniciativas individuais, que são também assessorados pela Emater. Em todos os municípios existem propriedades que são acompanhadas com maior intensidade, ou seja, são unidades de referência onde novas tecnologias são adotadas visando a validação dos resultados e divulgação junto aos demais produtores”, explica Walfrido.

 

Ainda segundo ele, para alcançar os resultados já obtidos no primeiro ano do projeto, as parcerias são fundamentais. “As instituições envolvidas reconhecem a relevância da atividade leiteira para o desenvolvimento da região”, destaca. Profissionais da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) e da Embrapa Produtos e Mercado (Escritório de Sete Lagoas) vêm abordando temas como o sistema de plantio direto; as características do sistema de integração lavoura-pecuária; cultivares geneticamente melhoradas de milho e sorgo; qualidade da silagem; e conservação do solo e da água. “Nossa intenção é oferecer tecnologias para que a região se transforme num polo de produção de leite”, explica Jason Duarte, chefe-adjunto de Transferência de Tecnologia da Unidade da Embrapa em Sete Lagoas.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais