silagem
DATA: 25/02/2016

Projeto Minas Pecuária vai fortalecer a cadeia de leite e carne do Estado

A meta é prestar assistência em 8 mil propriedades de pecuária de leite e a instalar 80 unidades de referência de pecuária de corte

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, lançou nesta quarta-feira (24/2), em Belo Horizonte, o programa Minas Pecuária, cujo objetivo é o fortalecimento do setor nos 17 Territórios de Desenvolvimento do Estado até 2018. A meta é prestar assistência técnica em 8 mil propriedades de pecuária de leite e a instalar 80 unidades de referência de pecuária de corte.

 

Além da ampliação da competitividade, o projeto visa promover a geração e ampliação de renda do produtor rural, estabelecendo sistemas de produção sustentáveis e proporcionando aos produtores rurais meios e condições para apropriarem-se de tecnologias e de estratégias de gestão do sistema de produção. O vice-governador Antônio Andrade e o secretário da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), João Cruz, também participaram da solenidade.

 

Durante o evento, Fernando Pimentel ressaltou a necessidade de Minas Gerais melhorar a produtividade do setor leiteiro, na qual o Estado perde para outras unidades da federação. Para isso, o governador defendeu a criação de parcerias com entidades da área. “Sozinhos, a gente não vai a lugar nenhum. Nós estamos aqui, com todos os parceiros, para colocar em marcha um programa cujo resultado irá, sem sombra de dúvidas, melhorar muito a produtividade do nosso setor leiteiro”, afirmou Pimentel.

 

“Embora a média mineira seja um pouquinho superior à nacional, ela é vergonhosamente mais baixa do que a do Rio Grande do Sul, por exemplo. Temos que equilibrar a média de produção no Estado como um todo. É uma tarefa nossa e é possível fazer se a gente contar com o apoio e o empenho das entidades parceiras. Tenho certeza que esse programa vai produzir excelentes resultados”, completou.

 

 

Planejamento

Minas Gerais possui hoje o segundo maior rebanho do Brasil e a agropecuária representa 35% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. Além disso, está em quinto lugar entre as unidades da federação com maior produtividade de leite do país. A intenção do programa, segundo secretário João Cruz, é ampliar estes números.

 

O secretário define como meta do Minas Pecuária a prestação de assistência técnica em 8 mil propriedades de pecuária de leite e a instalação de 80 unidades de referência de pecuária de corte. Cada propriedade assistida atua como referência técnica, influenciando, no mínimo, mais dez propriedades rurais no seu entorno. Portanto, a projeção é atingir, neste período, mais de 80 mil propriedades de leite e corte.

 

“A tecnologia é o fator que mais interfere em renda. Então, a ênfase é levar ao produtor a tecnologia por meio de programas de gestão e transferência de tecnologia. São programas de assistência técnica, continuada, passando por todas aquelas diretrizes que nós apresentamos, no sentido de incorporar a tecnologia nas propriedades. E aquelas propriedades que forem unidades de referência vão ser como multiplicadores para as vizinhas”, destacou.

 

O programa está alicerçado em nove diretrizes: assistência técnica e extensão rural, pesquisa e inovação tecnológica, gestão da atividade, boas práticas de produção, qualidade dos produtos, sanidade animal, melhoramento genético, infraestrutura e logística, políticas setoriais e marcos regulatórios. Cada diretriz possui objetivos estratégicos e ações prioritárias que buscam atender as necessidades dos produtores rurais para que estabeleçam um sistema de produção eficiente do ponto de vista técnico, econômico e ambiental.

 

Com a implantação do programa, e em sintonia com todos os segmentos que compõem a cadeia produtiva da bovinocultura, pretende-se garantir ao Estado de Minas o lugar de destaque na pecuária nacional, e em condições de oferecer produtos de qualidade para atender às demandas de mercados cada vez mais exigentes.

 

O Minas Pecuária foi desenvolvido pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento e suas vinculadas – Emater, Epamig, IMA e Ruralminas – que formarão o Grupo Coordenador. Para o desenvolvimento do programa, o Governo de Minas Gerais fez alianças com diversas instituições, entre elas, os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Desenvolvimento Agrário (MDA), Sistema Faemg, Fiemg, Fetaemg, Embrapa, Ocemg e Silemg.

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.