DATA: 04/09/2015

Projeto Biomas deve plantar 50 mil árvores até 2017

A equipe tem como objetivo mostrar para o produtor como as árvores são importantes para a área rural

O Projeto Biomas, resultado de uma parceria entre a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), deve plantar, até 2017, 50 mil árvores de aproximadamente 60 espécies no bioma Amazônia. “A estimativa foi calculada com base em pesquisas diagnósticas que vêm sendo desenvolvidas há aproximadamente 2 anos neste bioma”, afirma Alexandre Mehl, coordenador regional do Projeto Biomas na Amazônia e também pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental.

O bioma Amazônia é o maior dos seis biomas brasileiros e 60% dessa floresta está situada em território nacional. Nesta região, aproximadamente 2.500 espécies ou um terço de toda madeira tropical do mundo e 30 mil espécies de plantas, das 100 mil catalogadas em toda a América do Sul, já foram identificadas.

Os mais de 80 pesquisadores que atuam nesse bioma já plantaram 24 mil árvores e desenvolvem pesquisas em áreas experimentais no estado do Pará. Uma das áreas, de aproximadamente 36 hectares, fica localizada na Fazenda Cristalina, em São Domingos do Araguaia, a 80 quilômetros de Marabá. No local, já foram implantados 22 experimentos, sendo que 6 deles já apresentam resultados significativos. “Essa área está parcialmente ocupada com experimentos em Área de Reserva Legal (ARL) e Áreas de Sistemas Produtivos (ASP)”, esclarece Alexandre.

“A equipe de campo do Bioma Amazônia trabalha para mostrar aos produtores rurais o quanto a árvore é importante e pode trazer retornos ambientais e econômicos para a área rural”, afirma Cláudia Rabello, coordenadora executiva do projeto pela CNA. Na Fazenda Cristalina a equipe já plantou mudas de espécies de diversas árvores frutíferas. Segundo os pesquisadores, a ideia é instalar unidades experimentais para avaliar o comportamento de cultivares da banana, abacaxi, mamão e maracujá, recentemente lançados pela Embrapa.

Ainda na Fazenda Cristalina, foram instaladas pesquisas com sistema de integração Lavoura, Pecuária e Floresta (ILPF), que consiste em recuperar áreas de pastagens degradadas integrando, na mesma propriedade, sistemas produtivos como os de grãos, fibras, carne leite e agroenergia. A implantação iniciou em dezembro de 2013 com o plantio de eucalipto. Em março e julho de 2014, foi plantado e colhido o milho. E em dezembro de 2014, a soja. Com o pasto pronto, o gado poderá ser integrado na propriedade em maio de 2016.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.