Projeto baiano sobre brucelose bovina terá o apoio dos Estados Unidos

O objetivo é implantar um sistema de busca dos focos da enfermidade, utilizando testes laboratoriais, para erradicar a doença

Após vencer concorrência com participantes de todo Brasil, a equipe da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), vai desenvolver um projeto sobre o sistema de vigilância ativa para brucelose bovina, em parceria com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC – USA) e o TEPHINET.

 

O objetivo é implantar e avaliar um sistema de busca dos focos da enfermidade, utilizando testes laboratoriais, com vistas ao controle e erradicação da doença. Outro objetivo importante é promover medidas de educação em saúde e melhorar a relação com os órgãos de saúde pública. “Buscamos a criação de um protocolo de atendimento junto ao serviço de saúde pública do Estado da Bahia para esta enfermidade que tem caráter zoonótico”, esclarece a coordenadora estadual do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Bovina na Bahia (PNCEBT/BA), Luciana Ávila.

 

Coleta de amostras

Na primeira fase acontece a coleta de sangue de fêmeas adultas para posterior diagnóstico da enfermidade. Em uma segunda fase serão feitas coletas de leite em laticínios para realização do teste do “anel do leite”, nome dado ao diagnóstico para identificação da brucelose em amostras da matéria-prima. Para isso, o projeto contará com a colaboração dos fiscais da Diretoria de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Adab nos matadouros e laticínios parceiros das regiões de Irecê e Miguel Calmon.

 

Diagnóstico

Os diagnósticos para brucelose bovina serão realizados pelo Laboratório de Sanidade Animal da ADAB (Ladesa) com novas técnicas, a exemplo do Elisa Milk em amostras de leite, e outras já utilizadas. Benefícios do intercâmbio técnico-científico O projeto desenvolvido pela Diretoria de Defesa Sanitária Animal, por meio da Coordenação de Epidemiologia e do PNCEBT/BA, terá financiamento de recursos externos para cooperação e intercâmbio técnico, aquisição de materiais, capacitação técnica, desenvolvimento de trabalhos de campo e apoio para publicação no âmbito internacional.

 

Para o diretor de Defesa Sanitária Animal da ADAB, Rui Leal, essa iniciativa se destaca por promover a troca de experiências com demais instituições, ressaltando a importância do intercâmbio técnico-científico para melhorar a vigilância ativa e demais atividades. O diretor-geral da Agência, Oziel Oliveira, afirma que a Adab vai continuar captando recursos e convênios técnico-científicos com outras instituições, visando o aprimoramento dos profissionais em busca da sanidade dos rebanhos do Estado e o fortalecimento da pecuária baiana.

 

Deixe seu comentário