DATA: 15/12/2015

Programa Sindicato Forte terá inovações no próximo ano

Os próximos passos definidos são a validação dos objetivos e dos critérios, detalhamento dos projetos e ações, definição de metas, prazos e recursos

O Programa Sindicato Forte, criado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) para melhorar o atendimento prestado aos produtores rurais, terá novidades em 2016. O tema foi tratado em uma reunião do grupo de trabalho que começou na terça-feira (08/12) e se encerrou na sexta-feira (11/12), em Brasília.

 

Seis representantes do programa e dois consultores debateram um projeto para inovação sindical. Foram definidas cinco ações estratégicas: regularização sindical frente ao Ministério do Trabalho, estruturação sindical, atuação sindical, comunicação sindical e parceria com o SENAR.

 

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Conselho Deliberativo do SENAR, João Martins, o Secretário Executivo do SENAR, Daniel Carrra, o vice-presidente diretor da CNA, José Mário Schreiner (GO) e o vice-presidente diretor da CNA, Mário Pereira Borba, participaram de uma parte da programação.

 

“Pretendemos promover melhorias e fomentar novas lideranças sindicais, mas para isso precisamos começar pela tomada de consciência dos presidentes de Federações. Outro ponto que precisamos avançar é na comunicação entre sindicatos, Federações e CNA. Temos que agilizar as consultas e ter mais eficiência nesse processo”, diz João Martins.

 

Os próximos passos definidos são a validação dos objetivos e dos critérios, detalhamento dos projetos e ações, definição de metas, prazos e recursos, e execução das atividades. O assunto será tratado novamente durante a reunião do Conselho de Representantes da CNA, que deverá ocorrer no início de 2016.

 

“Não tenho dúvidas de que a partir das inovações que estão sendo propostas e com o engajamento das Federações e sindicatos de todo o País, os produtores rurais terão as suas entidades representativas organizadas e preparadas para melhor atendê-los”, afirma o coordenador nacional do Programa Sindicato Forte, Celso Botelho.


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.