Programa Irrigar pode trazer produtividade ao setor leiteiro catarinense

O Estado vem se consolidando como um dos principais produtores do país

A produção de leite ganha espaço em Santa Catarina e, com um crescimento recorde, o Estado se consolida como um dos principais produtores do país. A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca é uma importante parceira nessa jornada, investindo em programas para melhoria da produção e aumento da produtividade. A partir deste ano, os agricultores que se dedicam a essa atividade poderão contar com um novo projeto que incentiva os agricultores a investirem na irrigação como forma de ampliar a quantidade e a qualidade das pastagens produzidas.

 

Com o Programa Irrigar, os produtores rurais poderão contrair financiamentos de até R$ 30 mil, com oito anos de prazo para pagar, e subvenção de juros pela Secretaria da Agricultura de até 4,5% ao ano.  O secretário Moacir Sopelsa explica que no caso dos produtores rurais enquadrados no Pronaf, a subvenção é igual ao valor dos juros, ou seja, o Programa será com juro zero. Já para os demais produtores a Secretaria pagará parte dos juros.

 

“Baseado em experiências de agricultores que já utilizam a irrigação nas pastagens, podemos afirmar que o novo Programa pode trazer um salto de produtividade”, destaca Sopelsa. Em áreas irrigadas, a lotação por hectare passou de quatro para até oito vacas e o aumento de produtividade de leite foi de 25% por vaca/ano. Em um ano a produção de leite por hectare quase dobrou.

 

O Irrigar faz parte de um grande esforço do Governo do Estado para fomentar a cadeia produtiva do leite em Santa Catarina. Ao longo dos últimos cinco anos foram investidos R$ 162.966.030,58 no desenvolvimento do setor leiteiro através dos Programas Terra – Boa, Juro Zero e de Fomento à Produção Agropecuária, além de financiamentos para aquisição de matrizes e reprodutores em feiras.  Isso sem falar no Programa SC Rural que aplicou mais de R$ 10 milhões em projetos voltados para a produção e beneficiamento de leite.

 

Entre 2000 e 2013, o aumento na produção foi de 190%, muito a cima da média nacional. O Estado, que antes respondia por 5% do leite produzido no país, passou a ser o quinto maior produtor nacional com 8,5% de todo o leite brasileiro. Os números são ainda maiores se falarmos das regiões do Oeste e Sul Catarinense, que cresceram 256% e 223% em produção no mesmo período.

 

Deixe seu comentário

Leia mais