DATA: 15/01/2016

Produtores assentados trocam curral por poços artesianos em Goiás

O Incra permitiu que fosse feita a construção dos poços, que vão beneficiar 34 famílias

Em Lagoa Santa, município goiano que fica na fronteira com o Mato Grosso do Sul, no assentamento Sete de Setembro, a falta de água em algumas parcelas desanimava os agricultores. Para a moradora do Sete de Setembro, Maria Aparecida Fidelis, a Cida, o “bem maior” num assentamento é a água. “Como plantar e cuidar da criação se não tem água?”, ela perdunta.

 

Poços artesianos

Porém, neste mês o problema foi resolvido. As 34 famílias do Sete de Setembro passam a contar com poços artesianos em suas parcelas. A solução para a dificuldade foi pensada coletivamente. Os moradores do assentamento sugeriram ao Incra que um curral de alto padrão, no centro da propriedade, fosse negociado em troca da água. “Como o bem ficou na cota coletiva do assentamento, que conta com outro curral de bom nível compartilhado entre eles , vimos que era possível desfazer dele e reverter em poços artesianos nas parcelas”, conta, Cida.

 

Da parte do Incra, foi necessário fazer uma consulta jurídica interna e verificar a legalidade da transação, além de realizar entrevista com os assentados, assegurando que todas as 34 famílias, mesmo as que não tinham problema com água, aceitavam trocar o curral pelos poços artesianos. Para o superintendente do Incra em Goiás, Jorge Tadeu Jatobá Correia, foi necessário esforço, cuidado e olhar acurado por parte dos servidores para encontrar o caminho legal para a negociação. “O resultado não poderia ser melhor: famílias satisfeitas, com mais ânimo para tocar seu trabalho”, diz.

 

Vida nova

Após seis meses, a perfuração dos poços transformou-se em realidade. A empresa Cristal Poços aceitou permutar o serviço pelo curral. No dia 28 de outubro iniciou o trabalho, rodeado pela curiosidade de alguns assentados, entre eles, Cida, que deu início a essa história, emocionada, com a chegada das máquinas e a perfuração. “Vale a pena sonhar e lutar pelo que se acredita”, diz.

 

Além de perfurar, a Cristal Poços deixou os poços aptos para uso, de acordo com as normas preconizadas pelo Ministério da Saúde, pelo valor de R$ 200 mil negociados do curral. As famílias terão apenas que instalar a bomba e a caixa d’água para o abastecimento.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.