Produto biológico com ácaros reduz em 50% perdas na produção de cogumelo

A solução biológica fabricada pela Promip é eficaz no controle da mosca Fungus gnats, principal praga no cultivo de cogumelos

De acordo com a Promip, empresa de biotecnologia e manejo integrado de pragas, o biológico Stratiomip, composto de ácaros predadores da espécie Stratiolaelaps scimitus, que atua no controle de insetos nocivos em plantações de cogumelos comestíveis, já contribuiu para reduzir em até 50% as perdas dos agricultores que utilizaram o produto, lançado no mercado há quatro meses. A tecnologia é a primeira do País com registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), para a cultura do alimento.

 

“Como no Brasil a utilização de defensivos químicos para o controle dessas pragas é proibida pelo Ministério da Agricultura, o manejo fica restrito à limpeza das instalações e ao descarte correto de sobras da colheita e do composto exaurido. O Stratiomip chega como aliado dos agricultores contra o Fungus gnats. Os resultados no País têm se mostrado bastante promissores, sendo esse ácaro já comercializado em vários países da Europa e América do Norte”, afirma a Dra. Grazielle Furtado Moreira, Coordenadora de Desenvolvimento de Produtos Macrobiológicos da Promip.

 

A solução biológica é eficaz no controle da mosca Fungus gnats, principal praga no cultivo de cogumelos. Suas larvas causam danos diretos nas plantações, podendo levar a perda total da produção. O composto, que deve ser aplicado diretamente nos canteiros, reduz a proliferação desses insetos no ambiente de cultivo, pois os ácaros predam justamente os ovos e as larvas da espécie.

 

Segundo estimativas da Associação Brasileira dos Produtores de Cogumelos, existem mais de 300 produtores do alimento no País que, juntos, cultivam mais de 12 mil toneladas e são responsáveis por 3 mil empregos diretos.  Essa produção está principalmente concentrada em Mogi das Cruzes, São Paulo, e em Curitiba, Paraná. Outros estados com cultivos expressivos são Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, Brasília e Rio Grande do Sul.

 

Deixe seu comentário