DATA: 11/12/2015

Produtividade da safra catarinense cresce e ajuda a conter inflação

Maçã, cebola, carne suína, soja e arroz foram os produtos que mais contribuíram para o aumento do valor bruto da produção agropecuária

A safra 2013/2014 em Santa Catarina foi mais produtiva e ajudou a conter a inflação, uma vez que os preços agropecuários subiram abaixo desse índice. Essa é uma das principais conclusões da Síntese Anual da Agricultura de Santa Catarina 2014-2015, publicação do Centro de Socioeconômica e Planejamento Agrícola da Epagri.

 

O documento, que está em sua 36ª edição, resume o desempenho da mais recente safra do Estado, nesse caso a 2013/2014. Os dados da Epagri/Cepa mostram que o valor bruto da produção agropecuária (VBP) catarinense cresceu 5,8% na safra 2013/2014, atingindo R$ 21,4 bilhões. O volume produzido evoluiu 2,7%, enquanto que os preços cresceram apenas 2,6%.

 

A maçã, a cebola, a carne suína, a soja e o arroz foram os produtos que mais contribuíram para o crescimento do VBP. Na outra ponta destacam-se o feijão, o tomate, a madeira e o milho como os que enfrentaram decréscimo significativo no valor de produção.

 

As lavouras permanentes tiveram crescimento de 26% no valor produzido. Os preços cresceram 14% e a quantidade produzida 11%. A maçã, por exemplo, registrou VBP de R$ 451.522.000,00 em 2013, índice que saltou para R$ 634.430.000,00 no ano seguinte. Entre as lavouras temporárias, a cebola e o alho tiveram forte crescimento no VBP. A cebola teve aumento de 11% na produção e o alho teve seus preços incrementados em 12%.

 

A soja foi uma das que mais puxaram o VBP da agricultura catarinense, com crescimento de mais de 140% no valor de sua produção na safra 2013/2014. Isso é resultado da expansão de 27% na área cultivada no Estado nos últimos quatro anos. Os grãos de forma geral tiveram crescimento de 1,8% na produção e de meros 1,6% nos preços.

 

O segmento pecuário foi responsável por 53% do VBP catarinense em 2014. O grande destaque vai para a carne de frango, que representou 20% no valor total da produção da safra. A contínua expansão da produção leiteira do Estado também merece destaque, que cresceu quase 6% ao ano desde 2014, ficando próxima de três bilhões de litros em 2014.

 

O tomate, embora tenha registrado crescimento de produção de 11% na safra avaliada, teve queda de 32% nos preços, resultando em uma produção com valor bem inferior ao período anterior, que havia sido excepcionalmente elevado (crescimento de 165%). O milho enfrentou redução de 5,3% no volume produzido e seus preços médios praticados foram 2,7% menores comparados com o ano agrícola anterior.

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.