milho. preço do milho. exportação de milho. mercado do milho. farming brasil

Recuperação do preço do milho trouxe boas oportunidades de venda em Mato Grosso

O valor médio comercializado em fevereiro foi de R$ 17,79 por saca, trazendo um impulso de 5,1% em relação ao mês anterior

No mês de fevereiro de 2017, a comercialização de milho para a safra 2016/2017 alcançou 98,56% da produção estimada em Mato Grosso. Como é comum em período de entressafra, as negociações nesse último mês avançaram apenas 0,9 p.p a um preço do milho médio negociado de R$ 17,28 por saca. As informações foram divulgadas pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) na segunda-feira (12/03).

 

No que tange a safra 2017/2018, a recuperação dos preços em fevereiro trouxe boas oportunidades ao produtor mato-grossense e nesse sentido a comercialização alcançou 37,7%, avançando 12,0 p.p. durante o mês. Devido a recuperação de 3,3% nas cotações da CME, em conjunto com o aumento do dólar em 1,0%, no comparativo com o mês de jan/18, o preço médio comercializado nesse último mês foi de R$ 17,79 por saca, trazendo um impulso de 5,1% em relação ao mês anterior.

 

Preço do milho em alta

Além do mercado externo, os preços têm sido alavancados também no mercado interno, principalmente nas regiões que apresentam maior confinamento. Dessa maneira, é importante que o produtor continue atento ao mercado, afim de aproveitar as oportunidades que vem surgindo no curto prazo.

 

Oferta e demanda

Nesta semana o USDA trouxe novas perspectivas para o quadro de oferta e demanda do milho na safra 2017/2018, tendo como ênfase a safra da América do Sul, visto que as lavouras estão em pleno desenvolvimento. No Brasil o departamento não apresentou muitas alterações, trazendo um pequeno recuo de 0,5% na produção, que agora passa a ser estimada 94,5 milhões de toneladas, dado que o departamento reduziu a previsão de área semeada.

 

Já as ofertas da Argentina continuam como destaque neste novo relatório, que por conta do persistente déficit hídrico no país, a produção do milho foi reduzida em 7,7% e passa agora a ser estim- ada em 36,0 milhões de toneladas. Por conta do recuo produtivo, as exportações do país também foram recuadas em 2,5%, sendo esperado que os norte-americanos supram grande parte desse déficit. “Com isso, é importante a atenção ao mercado climático nesse momento em que dois grandes players ofertantes do mercado estão com a sua safra em pleno desenvolvimento, afim de aproveitar as oportunidades que podem surgir no curto prazo”, informa o Imea.

 

 

Leia mais