silagem
DATA: 29/09/2015

Pré-secado garante armazenagem de pasto por até 2 anos

Técnica auxilia produtores de leite a manter propriedades nutricionais da pastagem durante todas as estações

Estocar num período de fartura para garantir alimento em época de escassez. Um princípio básico, mas muitas vezes difícil de ser colocado em prática na atividade agrícola. No caso da produção de leite, assegurar aos animais uma pastagem de qualidade o ano todo é o grande objetivo dos agricultores.

A silagem e o feno são duas alternativas de conservação de forrageiras para o período de inverno, representando, aliás, métodos bastante conhecidos e utilizados pelos pecuaristas. Mas há também uma alternativa intermediária entre estes dois sistemas: é o método “pré-secado” ou “silagem pré-secada”.

No município de Cunhataí, região Oeste do Estado, uma parceria entre Epagri e prefeitura, com apoio dos governos estadual e federal, tem ajudado os produtores a armazenar a pastagem por até dois anos, mantendo todas as propriedades nutricionais do alimento. A aquisição de maquinário agrícola específico mudou a perspectiva das famílias rurais. O uso desses implementos tecnológicos entre as comunidades locais criou uma rede de compartilhamento que só traz benefícios à população.

Humberto Bicca Neto, extensionista da Epagri, explica que “a partir desse processo o produtor pode armazenar comida excedente nos períodos onde ele não consegue intervir com os animais pastejando. Sem essa tecnologia o produtor não conseguiria proceder com a estocagem ou teria muita dificuldade e muita mão de obra para fazê-lo”.

O processo consiste em quatro etapas. O primeiro passo é a roçada da pastagem, o corte no tamanho ideal. A segunda etapa é o revolvimento, para que a pastagem seque por completo, isso com ajuda de outro equipamento. Então é preciso aguardar um período para que ela murche, desidrate, até chegar ao ponto chamado de “pré-secado”.

A terceira fase é o recolhimento da pastagem, a acomodação dentro da máquina e a amarração. O rolo com a pastagem sai bem compactado, pesando cerca de 500 quilos e pronto para a quarta etapa que é a embalagem, a colocação do plástico que vai garantir o isolamento e a conservação do conteúdo. Uma garantia e tanto aos agricultores que buscam uma reserva forrageira na produção de leite.

O produtor rural Fábio Franz, que se beneficia com as novas máquinas, avalia que estes equipamentos foram um dos melhores investimentos realizados na agricultura de Cunhataí. “Nossas propriedades são pequenas, por isso precisamos tirar o máximo de produtividade. Essas máquinas que a prefeitura está dispondo para os agricultores permitem tirar o dobro de produção por hectare”, conclui.


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais