DATA: 19/10/2015

Porto do Itaqui é destaque em Singapura

O Porto apresenta características produtivas importantes para o País e para o mundo

A delegação maranhense, liderada pelo vice-governador Carlos Brandão, que cumpre missão em Singapura representando o governador Flávio Dino, esteve, no sábado (17), na sede da Jurong Island, ilha artificial situada no sudoeste da ilha principal, formada a partir da fusão de sete ilhas offshore. Na visita, os representantes do Governo do Maranhão divulgaram as potencialidades estratégicas do Porto do Itaqui, instalado em São Luís.

A comitiva do Maranhão está em Singapura a convite dos organizadores da 11ª edição do Latin Asia Business Forum (LAB), que reúne líderes empresariais e governamentais de vários países e é sediada em Singapura, na Ásia, articulando a participação da comitiva maranhense no evento, que começou na sexta-feira (16/10).

A comitiva do governo Flávio Dino conta com a presença do presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, e do secretário de Estado de Programas Especiais, Felipe de Holanda. Presentes, também, na comitiva maranhense, Celso Gonçalo, vice-presidente da Fiema; Luiz Renner, presidente do conselho fiscal do Sebrae; e Luiz Athayde, consultor da Fiema.

A iniciativa de criar a Jurong Island obteve êxito e, então, diversas empresas começaram a investir no local, todas focadas nas cadeias produtivas do setor da indústria petroquímica, interligadas por uma rede de gasodutos que permite a perfeita integração entre elas.

Na Jurong Island também é possível encontrar cavernas de rochas utilizadas para armazenar petróleo bruto, condensados, nafta e petróleo e gás, em funcionamento desde 2007, uma revolução na técnica de estocagem e logística para estes fins.

A crença de que as obras da ilha artificial estão finalizadas se encerram durante a visita ao local. Nitidamente, é possível perceber que para aumentar a sua vantagem competitiva, Singapura tem áreas reservadas para atrair mais empresas que procuram produzir produtos especiais, vinculados aos demais setores de produção que lá já funcionam.

Para comprovar tudo isso é que os maranhenses realizaram esta visita a Jurong Island por intermédio da International Enterprise Singapura (IES) e dos membros da Jurong Consultants, braço da Jurong Internacional, empresa especializada em projetos voltados para arquitetura, zonas econômicas, instalação de biociências, desenvolvimentos marinhos e, sobretudo, infraestrutura para portos e estaleiros. A Jurong Consultants atua em três eixos centrais: infraestrutura de energias, planejamento de desenvolvimento, engenharia e design de planta.

O Governo do Estado e instituições de Singapura viabilizaram uma reunião, como parte da agenda de sábado, para tratar dos assuntos relacionados à visita técnica à Jurong Island. O presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, fez uma explanação sobre o que o governo Flávio Dino tem buscado em inovação para o Porto do Itaqui.

Como resposta, a Jurong Consultants avaliou o que é possível realizar em termos de desenvolvimento em infraestrutura no setor portuário. “Vemos no Porto do Itaqui uma mina de ouro”, resumiu Elson Mah, vice-presidente de porto e marinho pela Jurong Consultants, ao presenciar a abordagem de Ted Lago.

O vice-governador Carlos Brandão destacou as expectativas dos maranhenses em relação à visita. “O Porto do Itaqui apresenta características produtivas que serão úteis ao Brasil e ao mundo, se devidamente incentivadas. Ao enxergarem nele esse potencial, deixamos as portas abertas para que recebamos propostas de trabalho conjunto”. Em breve, Governo do Estado e Jurong Consultants retomarão a rodada de discussões.

Potencialidades

Aprimorando cada vez mais o estudo de potencialidades do estado, o Governo do Maranhão está traçando agendas estratégicas a fim de avaliar oportunidades de investimentos nas áreas de adubos químicos, refinaria de petróleo e distribuição de granéis líquidos, estaleiros, pelotização e commodities agrícolas.

Singapura avançou o degrau de terceiro mundo para o primeiro mundo, em duas gerações. Atualmente, destaca-se como principal centro global para os negócios.

A história de sucesso dessa cidade-estado localizada na Ásia rendeu ao GIC, fundo soberano de Singapura, a sua instalação no Brasil, com escritório em São Paulo, e intensa prospecção de negócios no país e na América Latina.

Conhecer bem os lugares nos quais deseja investir, aliás, é uma importante tática adotada por Singapura, que não mede esforços em se aproximar de outras culturas para construir sólidas relações de confiança. Traçar o caminho inverso também é essencial. Afinal, Singapura é exemplo mundial de superação socioeconômica, detendo hoje o maior hub financeiro de toda Ásia.

Com informações do Secom.


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.