Porto de Paranaguá.

Porto de Paranaguá registra novos recordes de movimentação

De janeiro a março, foram exportadas 4,66 milhões de toneladas de grãos, alta de 19% em relação ao último recorde

O Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá bateu mais dois recordes. O complexo de escoamento graneleiro fechou o primeiro trimestre do ano com a maior movimentação de produtos de sua história para o período. De janeiro a março, foram exportadas 4,66 milhões de toneladas de grãos, alta de 19% em relação aos três primeiros meses de 2014, ano do último recorde de movimentação. Outra marca histórica foi o volume total de movimentação diária.

 

Na última terça-feira (05/04), o complexo exportou 115,4 mil toneladas, superando em 2% a marca de 112,9 mil toneladas movimentadas em 17 de agosto de 2014. Outra marca histórica foi o volume total de movimentação diária. Os dados foram apresentados pelo governador Beto Richa nesta quinta-feira (07/04) na 22ª edição da Intermodal South America, maior feira do setor de logística da América Latina, em São Paulo. “Estamos batendo mensalmente nossos próprios recordes. Isso é resultado das mudanças realizadas pela administração dos portos e aos maiores investimentos públicos já feitos para modernização dos terminais paranaenses”, disse Richa.

 

O governador esteve no estande da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) na Intermodal South America. A Appa apresenta seu trabalho com outras 31 empresas parceiras e que atuam na área de exportação, importação e operações portuárias.

 

Richa ressaltou que, em sua gestão, os investimentos em transporte e logística foram priorizados. “Os portos de Paranaguá e Antonina são exemplos de que os recursos direcionados à modernização e ao aumento da capacidade de operação são fundamentais”, afirmou o governador.

 

 

 

Produtividade

Os novos números do Porto de Paranaguá comprovam o aumento da produtividade, já que o complexo de exportação bateu também, individualmente, recordes em cada um dos três primeiros meses do ano. Em janeiro foram exportadas 1,34 milhão de toneladas (36% acima do recorde anterior); em fevereiro 1,52 milhão de toneladas (18% superior à antiga maior marca do mês); e em março o Corredor escoou 1,79 milhão de toneladas (9% a mais do que o melhor março até então). “Todo o nosso trabalho é feito para maior produtividade ao Corredor de Exportação. Com este objetivo, quatro dos seis shiploaders foram trocados por novos no ano passado”, disse o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

 

Infraestrutura

Boa parte deste ganho operacional é fruto dos investimentos de R$ 511,9 milhões para melhorar a infraestrutura e logística do Porto de Paranaguá. Foram adquiridos quatro novos shiploaders (carregadores de navio), substituindo equipamentos da década de 70. Os novos carregadores conseguem embarcar grãos com 33% mais agilidade que os antigos, aumentando a velocidade de embarque de 1,5 mil toneladas por hora para 2 mil toneladas por hora.

 

Também foram adquiridos dez novos guindastes, balanças para pesagem dos caminhões, tombadores e demais componentes para descarregar cargas, scanners para inspeção de cargas. Além disso foram instaladas guaritas informatizadas e novos acessos ao Pátio de Triagem. “Conseguimos atender uma demanda do campo, que era escoar com agilidade a produção de soja do final do ano passado. O produtor rural sabe que pode contar com o Porto de Paranaguá”, afirmou o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

 

No primeiro trimestre, o Corredor de Exportação já movimentou 2,20 milhões de toneladas de soja, o dobro em relação ao mesmo período do ano passado, e 1,56 milhão de toneladas de milho, 94% a mais do que o escoado em 2015. O recorde diário de movimentação do Corredor de Exportação foi alcançado nesta terça-feira (5). Foram despejadas 115,4 mil toneladas de soja e farelo de soja nos três navios Hanton Trader V, CaravosTriumph e Stahla, atracados nos berços 212, 213 e 214, respectivamente.

 

 

Deixe seu comentário

Leia mais