DATA: 22/10/2015

Porangatu busca selo de Identificação Geográfica para o mel

Produtores acreditam que com a certificação o mel da região passará a ter reconhecimento por sua qualidade

Em atendimento aos esforços dos produtores de Porangatu, a Unidade Local da Emater realizou, no último dia 9, reunião de mobilização com o setor produtivo do mel da região. O encontro foi realizado para definir parcerias para pleitear o selo de Indicação Geográfica do mel, conhecido como selo IG.

 

Os produtores acreditam que, com o Selo IG, o mel da região passará a ter reconhecimento por sua qualidade, já que o vínculo ao território de produção e outros fatores agregados valorizam o produto. A marca de qualidade costuma transpor fronteiras no mercado e o IG representa o selo de qualidade.

 

O selo do IG do mel da região de Porangatu contemplará os municípios de Amaralina, Bonópolis, Campinaçu, Estrela do Norte, Formoso, Mara Rosa, Minaçu, Montividiu do Norte, Mutunópolis, Novo Planalto, Santa Teresa de Goiás, São Miguel do Araguaia e Trombas. Maria Jacy está convencida de que “a obtenção do selo trará valorização do produto e o fortalecimento da marca e da cadeia produtiva do mel da região”.  Atualmente, cerca de 130 os produtores de mel atuam na região.

 

A coordenação dos trabalhos coube a Maria Jacy Mueller e José Araújo de Oliveira, ambas da Emater, e pela representante do Ministério da Agricultura, Maria Aparecida Pereira da Silva.

 

Próximos passos

 

Documentos serão reunidos e encaminhados posteriormente à área jurídica competente. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) apoia e fomenta as ações para a concessão da Indicação Geográfica (IG). O Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) é a instituição que concede o registro e emite o certificado. Existem duas espécies ou modalidades de Indicação Geográfica: “Indicação de Procedência (IP)” e “Denominação de Origem (DO)”. No Brasil, doze produtos receberam registro de IG na espécie “Indicação de Procedência” e dois produtos receberam na espécie “Denominação de Origem”.

 

Participaram, também, do encontro Job Vanderlei Carneiro, engenheiro agrônomo da Estação Experimental da Emater de Porangatu; o secretário municipal de Agricultura de Porangatu, Manoel Virgílio Siqueira; vereador Edmilson Andrade, presidente da Câmara Municipal; Lucimar Marques da Costa Garção, representante da Universidade Estadual de Goiás (UEG); Gilmara Cristina da Silva, representante do Sebrae; cooperados da Cooperativa do Mel e associados da Apinorte.

 

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais