DATA: 19/01/2016

Planos de gestão da castanha vão beneficiar extrativistas no Acre

Os planos têm como foco a construção e reforma de armazéns, aquisição de equipamentos e animais para o escoamento da produção

Cerca de 10 comunidades rurais, na região do Alto Acre e em Sena Madureira, vão contar com dois novos planos de gestão da castanha. Os planos vão beneficiar extrativistas com a construção e reforma de armazéns, aquisição de equipamentos e animais para o escoamento da produção e cursos de boas práticas para o correto manuseio da castanha.

 

 

Também serão comprados quadriciclos e caminhonetes para ajudar no escoamento da produção. Para retirar a castanha de dentro dos varadouros que não permitem a entrada de veículos e proteger a floresta serão adquiridos burros e bois de carga para esse transporte. Nas 10 localidades serão beneficiadas 164 famílias extrativistas que têm uma produção de 80 mil latas de castanha ao longo do ano, o que representa 960 mil quilos do produto.

 

Os planos são desenvolvidos com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento, por meio do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Acre. Para ter início, falta apenas a assinatura do convênio entre governo e a Cooperacre, que é a responsável pela administração dos recursos.

 

 

“Hoje fizemos alguns ajustes com a Cooperacre para que possamos assinar o convênio e começar a execução desses planos que são de extrema importância para os extrativistas que sobrevivem da coleta da castanha. Nos outros planos que já foram implantados conseguimos observar a melhoria na qualidade de vida das pessoas”, diz Diana Cristina Braga, coordenadora da cadeia produtiva da castanha na Seaprof.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.