Bovino. material genético. pecuária. farming brasil. sf agro
DATA: 05/02/2016

Pecuarista perde poder de compra e mercado de reposição segue lento

A falta de oferta de animais provoca o ritmo dos preços; os machos anelorados estão 4,3% mais caros que no ano passado

A proximidade do Carnaval tem tornado lenta as negociações no mercado de reposição em Mato Grosso do Sul. Entretanto, a demanda mais calma não foi suficiente para retirar a firmeza do mercado. O Estado é um dos que mais têm recebido chuvas ultimamente, com melhora da situação dos pastos, na comparação com outros Estados, principalmente os que ficam mais ao norte do País.

 

Assim, há possibilidade de reposição atualmente, considerando a condição das pastagens. Segundo a Scot Consultoria, além disso, a falta de oferta de animais é o que tem ditado o ritmo dos preços. Considerando os machos anelorados, os preços médios estão 1,5% maiores do que em janeiro e 4,3% superiores frente ao mesmo período do ano passado.

 

Os recriadores/invernistas estão pagando mais pela reposição e as cotações dos animais terminados não acompanharam a valorização das categorias jovens. Em relação a fevereiro de 2015, a arroba do boi gordo teve queda de 0,2% na cotação.

 

O poder de compra do pecuarista diminuiu 5,4% em relação ao garrote (9,5 arroba). Hoje, com a venda de um boi gordo no estado, é possível adquirir 1,35 garrote, frente a 1,42 em fevereiro do ano passado. “Não estão descartadas valorizações, no entanto, limitadas pela resistência dos compradores devido à perda do poder de compra”, diz a Scot Consultoria.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais