Plataforma Bosch de Pecuária de Precisão

Pecuária de precisão: nova plataforma revoluciona a pesagem do gado

Sistema de pesagem automática gera dados detalhados e histórico sobre ganho de peso para identificar os animais com melhor performance

Já imaginou pesar o gado oito vezes ao dia? O pecuarista pode pensar que esse trabalho não faz sentido e transportar o gado até a balança com tanta frequência geraria perda de peso, estresse do animal e prejuízo. Mas e se o gado se pesar sozinho e de forma automática? Essa é a proposta de um novo sistema de pesagem desenvolvido pela multinacional alemã Bosch, tradicional empresa de engenharia da indústria automotiva, com o intuito de estrear no setor do agronegócio.

 

Batizado como “Plataforma Bosch de Pecuária de Precisão”, o sistema foi desenvolvido e testado durante mais de dois anos na fazenda Santa Fé, do pecuarista Pedro Merola, localizada na cidade de Santa Helena de Goiás (GO). “Vamos reinventar a pecuária. Essa é a maior tecnologia de pesagem e monitoramento do gado, é uma ferramenta espetacular”, diz o CEO da fazenda Santa Fé, Pedro Merola.

 

Na fazenda Santa Fé, são 22 baias monitoradas com esse sistema e a projeção é ampliar a tecnologia para as demais 244 baias até o fim deste ano. “Com dados de desempenho do gado em tempo real, conseguimos descobrir qual animal está convertendo em dinheiro”, afirmou o pecuarista Pedro Merola durante evento de lançamento da tecnologia em São Paulo, no dia 28 de junho. “Vamos ter oito pesagens [de cada animal] por dia. Temos dados para saber se estamos fazendo um bom trabalho ou não. Imagine o quanto vamos ganhar em eficiência.”

 

O que é o sistema?

Trata-se de uma plataforma que pode ser instalada em praças de alimentação da fazenda ou próxima aos açudes, por exemplo. Quando o animal se locomove para se alimentar e beber água, naturalmente ele passa pela plataforma e a pesagem é realizada de maneira automática. “O nosso diferencial é a pesagem dinâmica. A gente usa todo o movimento de passagem do animal [pela plataforma]”, diz Gustavo Ferro, gerente da área de Negócios de Pecuária de Precisão da Robert Bosch América Latina.

 

Brinco eletrônico

O gado circula livremente e os dados são coletados por meio da leitura de um brinco eletrônico (RFID UHF) e enviados para uma rede de dados online. De acordo com o gerente Gustavo Ferro, a empresa desenvolveu uma tag leve, flexível e robusta. Após a análise dos dados, o sistema da Bosch oferece um mapa da propriedade que revela informações completas sobre as baias e os lotes de animais.

 

Com isso, o produtor pode acompanhar o ganho de peso de cada animal individualmente e de forma detalhada. “A gente pode comparar os animais por lote, classificar os animais. Desenvolvemos uma plataforma de precisão com dados reais do campo”, diz Ferro.

 

Por que vale a pena?

De acordo com o pecuarista Pedro Merola, a principal vantagem desse acompanhamento intensivo do peso do animal é conseguir identificar o momento ideal do abate. Isso significa que um animal com boa performance e bom ganho de peso pode ficar por mais tempo no confinamento. Além disso, o produtor pode investigar os resultados desse animal e aprimorar a genética e a nutrição.

 

Por outro lado, animais doentes podem ser identificados e tratados no momento certo. Além disso, bois com baixos índices de ganho de peso podem rapidamente ser levados para o abate, evitando que o pecuarista gaste com alimentação e diárias de confinamento com um animal de desempenho ruim. “Descobrimos que tiramos 27% dos animais tarde demais do confinamento”, afirma Merola.

 

Resultados em campo

Segundo Merola, 84% dos bois que não deram retorno em 30 dias continuaram dando prejuízo até o fim do ciclo. Com a implantação do sistema de pesagem automática, a coleta de dados precisos dos animais gera informações valiosas para a tomada de decisões.

 

Na fazenda Santa Fé, alguns resultados chamaram a atenção do pecuarista Pedro Merola. Segundo ele, 65% dos bois com alto rendimento saíram cedo do confinamento. Manter esses animais confinados pelo tempo adequado na fase final da engorda gera renda adicional de R$ 53,56 por cabeça. Já a identificação e tratamento de bois doentes, que correspondiam a 0,1% do gado, gera R$ 131,25 por cabeça. “Agora vou poder marcar os bois doentes”, diz Merola.

 

A aposta da Bosch na Pecuária

De acordo com a Bosch, além de aprimorar a gestão operacional da fazenda, o sistema permite verificar, em poucos dias de cocho, quais animais apresentam conversão alimentar baixa e que não trazem retorno financeiro. “Não estamos vendendo uma balança. Estamos vendendo um sistema com inteligência e tecnologia. O futuro está nos sensores, é através da inteligência artificial que vamos melhorar a indústria”, afirma Besaliel Botelho, presidente da Robert Bosch América latina.

 

De acordo com o presidente, a companhia está satisfeita com a aposta na Pecuária. “Com big data precisamos de confiabilidade dos dados, então criamos a nossa própria nuvem. A inovação está no DNA da nossa empresa. Precisamos de muito arrojo e coragem para investir nesse segmento.”

 

Questionada sobre o valor para compra e instalação do sistema a empresa informou, por meio de sua área de comunicação, que ainda é cedo para divulgar os valores. Segundo a companhia, o projeto é totalmente customizado. Por isso, o valor do investimento será proporcional ao tamanho da fazenda e vai atender as necessidades do pecuarista.

 

Deixe seu comentário

Leia mais