DATA: 07/09/2015

Paraná subsidia compra de equipamentos agrícolas

Trator Solidário já financiou mais de R$ 218 milhões em tratores, colhedoras e pulverizadores para pequenos produtores

O programa Trator Solidário financiou 3.525 tratores e 35 colhedoras para a agricultura familiar desde 2011. A iniciativa é do Governo do Paraná, que negocia com fabricantes e consegue reduzir o valor das máquinas agrícolas em até 18%. Nos últimos quatros anos, o valor dos financiamentos totalizou R$ 218,9 milhões. A expectativa é de que neste ano sejam adquiridos mil tratores, 100 colhedoras e 100 pulverizadores.

“Trata-se de um programa com grande apelo social, que beneficia produtores familiares, que podem se unir para adquirir um equipamento que vai levar mais tecnologia para a lavoura”, afirma Francisco Simioni, chefe do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento.

Cerca de 70% das propriedades rurais no Estado são de agricultura familiar – aproximadamente 280 mil. Há oito meses, o Trator Solidário – que apoiava até então a compra de tratores e pulverizadores – foi ampliado e passou a contemplar também o financiamento de colhedoras. A expectativa é que em 2015 sejam financiados mil tratores, 100 colhedoras, e 100 pulverizadores.

O próximo passo será oferecer a oportunidade de compra de tratores cabinados. Um novo edital, que vai valer para o período 2014/2015 para a concorrência entre as fabricantes de máquinas, será publicado até o fim de setembro, de acordo com Simioni. “É uma demanda dos agricultores familiares. O trator cabinado dará mais segurança na aplicação de agrotóxicos nos tratamentos das lavouras. Teremos as duas opções, com e sem cabine”, diz.

O edital tem validade de 12 meses. Pelo atual, que vence no fim do mês, as montadoras selecionadas para vender os equipamentos foram John Deere e New Holland, ligada ao grupo CNH.

Para Simioni, a economia no preço possibilita o acesso desses produtores a uma máquina com tecnologia de ponta. Os agricultores também ganham em flexibilidade. Podem fazer a colheita no melhor momento, sem ter que esperar para alugar a máquina.

O financiamento é feito pelo agricultor, através do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com juros anuais de 5,5%, período de 10 anos para pagar e até três anos de carência. O Estado é responsável pela equivalência em produto, utilizando-se de recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE). Os valores são usados para os fins de subvenção econômica – bônus no valor das prestações, quando o valor do preço médio do milho divulgado pelo Deral ficar abaixo do valor do preço mínimo divulgado pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

Os agricultores familiares interessados em adquirir tratores ou colhedoras pelo Programa Trator Solidário podem fazer a inscrição, preenchendo a pré-proposta nos escritórios locais da Emater, que é responsável pela elaboração do projeto final de financiamento.

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.