DATA: 29/09/2015

Nova cultivar de pimenta recebe certificação oficial do Mapa

A BRS Juruti será comercializada para produtores, companhias de sementes e empresas de processamento

Uma nova cultivar de pimenta está pronta para ganhar o mundo e ter as suas sementes disponibilizadas e comercializadas para produtores, companhias de sementes e empresas de processamento: a BRS Juruti (Capsicum chinense Jacq.), desenvolvida dentro do programa de melhoramento de Capsicum da Embrapa Hortaliças (Brasília-DF), recebeu sinal verde do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), através da certificação oficial emitida pelo Serviço Nacional de Proteção de Cultivares (SNPC) do MAPA, em agosto último.

A BRS Juruti veio juntar-se ao grupo formado pelas cultivares BRS Sarakura e BRS Garça, únicas cultivares de pimenta Capsicum protegidas no Brasil, e que em breve será acrescido de mais uma nova integrante – a BRS Nandaia encontra-se com proteção provisória, aguardando para breve a averbação oficial, dado o cumprimento dos requisitos para obtenção de proteção definitiva. Com mais essa certificação, chegará a quatro o número de cultivares de pimentas protegidas no País, todas do programa Capsicum. “Hoje, no Serviço Nacional de Proteção de Cultivares do MAPA, temos três cultivares de pimentas protegidas, todas do nosso programa de melhoramento”, acentua a pesquisadora Cláudia Ribeiro.

Coordenadora dos projetos relacionados ao melhoramento genético de pimentas e pimentões da Unidade, a pesquisadora acredita que a BRS Juruti vai atender a uma demanda crescente por materiais de pimenta vermelha com as suas caraterísticas, onde se destaca o alto teor de capsaicina, componente que confere picância à Capsicum.

Segundo ela, tanto no mercado interno, como externo, há uma procura muito grande pelo mash, pasta de pimenta utilizada para fabricação de molhos picantes. “Há, por exemplo, um tipo de pimenta como a Jalapeño, muito utilizada pela indústria pelo seu alto rendimento de polpa, mas que não possui o nível de ardor normalmente exigido, e aí entra o mash de uma pimenta com alta pungência, aliando o ardor ao rendimento de polpa”.

“Então, podemos afirmar que entre as cultivares desenvolvidas no Brasil, BRS Juruti e BRS Nandaia são as primeiras variedades do grupo habanero que cumprem esse papel, até então sem similar em nosso mercado”, acrescenta.

A BRS Juruti é uma cultivar de polinização aberta, desenvolvida para atender tanto o mercado de frutos frescos como a agroindústria. Além de altamente picante e aromática, a cultivar apresenta resistência múltipla a doenças, alta produtividade e uniformidade de plantas e frutos.

Exigente em calor e sensível a baixas temperaturas, a BRS Juruti é recomendada tanto para cultivo em campo aberto – trata-se de uma cultivar especialmente adaptada para o período de seca na região do Planalto Central – como em cultivo protegido.

Está previsto para novembro próximo o lançamento de edital para seleção pública pela Embrapa Produtos e Mercado (SPM), com o objetivo de licenciar empresas interessadas em produzir e comercializar as sementes da BRS Juruti. Até lá, a ideia é agregar esforços no sentido de disponibilizar para o mercado um volume suficiente de sementes genéticas para serem multiplicadas pelas empresas que se adequarem às normas da licitação.


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais