DATA: 04/01/2016

Ministério investe R$ 24 milhões em defesa agropecuária

Recursos servirão para estruturar serviços e intensificar combate à aftosa e às moscas das frutas

A defesa agropecuária receberá R$ 24 milhões este ano e em 2017. Os recursos serão destinados pelo Ministério da Agricultura (Mapa) para o fortalecimento de 15 agências estaduais de defesa agropecuária, por meio de convênios estabelecidos via Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa).

 

A verba federal permitirá às unidades da Federação conveniadas investir em serviços e programas voltados, por exemplo, à erradicação da febre aftosa em todo o território nacional e à intensificação do combate às moscas das frutas. “Esses recursos servirão para estruturar as agências de defesa agropecuária desses estados”, diz Rangel.

 

O ministério, acrescentou, vai supervisionar as atividades que visam a proteger a sanidade dos rebanhos e das lavouras brasileiras. As outras 12 unidades da Federação estão alinhadas com as políticas do Mapa, mas não fizeram convênios neste período porque já têm ações estruturadas na área de defesa ou não estão envolvidas diretamente nos macroprogamas de sanidade.

 

Febre aftosa

Na área de sanidade animal, a prioridade é a eliminação total da febre aftosa. Segundo Rangel, hoje quase todo o território brasileiro é reconhecido como livre de aftosa com vacinação – a exceção é Santa Catarina, que tem o status de livre da doença sem imunização.

 

Apenas o Amazonas, Amapá e Roraima ainda estão em processo de obtenção da condição de livres de aftosa com vacinação, o que elevará o status de todo o País ainda em 2016 e ao reconhecimento internacional até 2017 pela Organização Mundial de Saúde Animal.

 

Mosca das frutas

Outra prioridade da defesa agropecuária é o combate às moscas das frutas, conta Rangel. Essas pragas constituem, atualmente, a principal barreira sanitária ao avanço das exportações brasileiras do setor de fruticultura. “Temos que trabalhar para eliminá-las, objetivando garantir e ampliar os mercados.”

 

 

Estados beneficiados

De acordo com o secretário de Defesa Agropecuária, Luís Rangel, o Mapa conseguiu viabilizar os convênios a partir da publicação do Decreto 8.613, de dezembro de 2015. Os estados que receberão os recursos são estes: Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Norte, Paraíba, Mato Grosso, São Paulo, Pernambuco, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí, Roraima, Rio Grande do Sul e Tocantins.

 

Seis Estados têm recebido atenção especial do Mapa no desenvolvimento de ações de combate às moscas das frutas: Santa Catarina, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Essas unidades da Federação são exportadoras de maçã, melão, manga, melancia e uva.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.