DATA: 20/10/2015

Mercado de reposição segue firme em Minas Gerais

Considerando todas as categorias de machos anelorados, as cotações subiram 1,9% em relação ao preço médio de setembro

A demanda por bovinos está contida em função da situação ruim das pastagens, devido à falta de chuvas. Porém, a baixa oferta de animais é que vem ditando o ritmo do mercado. Segundo levantamento da Scot Consultoria, em relação ao preço médio de setembro, considerando todas as categorias de machos anelorados, as cotações subiram 1,9% em outubro.

A categoria com maior alta no período foi o boi magro (12,0@), cujo preço subiu 2,7%. No mesmo período, a cotação da arroba do boi gordo subiu menos, com alta de 2,2%, em média, o que justifica a perda do poder de compra do pecuarista que busca animais para reposição.

Atualmente, é possível comprar 1,33 boi magro com o valor da venda de um boi gordo (16,5@), em Minas Gerais, 0,5% menos que em setembro. Na comparação anual esta diferença aumenta, há um ano era possível adquirir 1,41 boi magro por boi gordo. A expectativa é que o mercado se mantenha firme, visto que a proximidade do início das chuvas aumenta a movimentação dos compradores em um cenário de oferta curta.

Com informações da Scot Consultoria.


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais