DATA: 21/01/2016

Mercado aponta para queda nos preços do suíno vivo

O poder de compra dos suinocultores paulistas e catarinenses recuou em até 40%

Os frequentes recuos nos valores do suíno vivo e as fortes altas nos preços do milho e do farelo de soja têm reduzido o poder de compra de suinocultores paulistas e catarinenses em até 40%, comparando-se a parcial deste mês com igual intervalo do ano passado. Para os próximos dias, a expectativa é de continuidade das quedas dos preços do vivo, o produto está nos menores patamares desde o ano de 2012.

 

A desvalorização do suíno está ligada com a retração da demanda interna e, também, ao aumento da oferta. De frente com os altos valores dos insumos, alguns suinocultores já consideram inviável manter a produção e, para não acumular prejuízos, têm elevado expressivamente o volume ofertado de animais, muitos deles com peso abaixo do ideal para abate.

 

Entretanto, os atuais níveis de preços do milho, causados pelas exportações aquecidas, indicam estoques finais menores que os da temporada anterior, além disso há expectativa de menor colheita na primeira safra deste ano. “Para o farelo, a baixa disponibilidade neste período em que a colheita da soja está apenas começando e o câmbio favorável aos exportadores seguem sustentando os preços domésticos”, diz o Cepea.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais