Ovinos. Ovinocultura. Rebanho ovino.
DATA: 08/12/2015

Mato Grosso do Sul tem novas regras para o abate de ovinos

Os interessados devem preencher um requerimento solicitando a vistoria prévia que será realizada pela Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal

Em função do cumprimento das normas e buscando atingir o adequado controle sanitário animal a Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) estabeleceu, através de uma portaria publicada na última quarta-feira (02/12), novas regras para as ações executadas durante a utilização do sistema de Propriedade de descanso de ovinos para abate (PDOA). A partir de agora, propriedades rurais de todo Mato Grosso do Sul poderão ser inscritas para servirem como local de permanência temporária de ovinos até o transporte definitivo para o estabelecimento de abate.

 

Segundo o diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, a propriedade inscrita precisa disponibilizar uma infraestrutura mínima, com curral provido de divisões e embarcador que atenda às necessidades do bem estar dos animais, bem como área de sequestro isolada do curral. Deverá estar disponível ainda, uma bomba de aspersão de alta pressão para a desinfecção dos veículos e das instalações.

 

Os interessados devem preencher um requerimento, disponível na Iagro, solicitando a vistoria prévia que será realizada pela agência, junto com o coordenador estadual do Programa Nacional de Sanidade dos Caprinos e Ovinos (PNSCO), e apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). É importante ressaltar que o cadastro na Iagro e na Secretaria de Estado de Fazenda de Mato Grosso do Sul (Sefaz) também serão exigidos dos interessados.

 

Outras definições como permissão de permanência dos animais na PDOA por máximo três dias, e recepção de novo lote apenas após autorização do médico veterinário, e detalhes sobre a desinfecção dos veículos utilizados no processo também foram estabelecidos na portaria. Os métodos de identificação dos lotes, conforme GTA de origem deverão ser aprovados pela Iagro e todo trabalho de assistência técnica deverá ser realizado médico veterinário privado ou médico veterinário.

 

 

O escritório local da Iagro fica responsável por Informar imediatamente à Coordenadoria Estadual do PNSCO o recebimento do documento que informa a data do desembarque e embarque agendado na PDOA, acompanhar o embarque e fazer a colocação do lacre no veículo transportador, realizar os serviços de vigilância sanitária, no mínimo, uma vez por mês, encaminhar as planilhas das relações de animais desembarcados e embarcados para a unidade Central da Iagro.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.