Arroz
DATA: 07/01/2016

Mapa vai ajudar produtores prejudicados pela quebra de safra do arroz

Agora, a principal preocupação do governo, está em realizar um levantamento das perdas agrícolas e os impactos sobre a renda dos produtores

Preocupado com as consequências das intensas chuvas das últimas semanas no Rio Grande do Sul, que prejudicaram principalmente as lavouras de arroz, o Ministério da Agricultura (Mapa) está avaliando a situação e deverá encontrar medidas para apoiar a agricultura gaúcha.

 

Na quarta-feira (06/01), o secretário de Política Agrícola, André Nassar, esteve em Uruguaiana, onde se reuniu com representantes dos sindicados e associações de produtores dos municípios da Fronteira Oeste e do centro do Estado para debater quais providências o governo federal poderá tomar para apoiá-los.

 

 

Dificuldade para pagar dívidas

Segundo Nassar, as principais demandas dos agricultores que participaram do encontro, promovido pela Federação de Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul) e pela Federação das Associações de Arrozeiros do Estado do Rio Grande do Sul (Federarroz), é o pagamento das dívidas, crédito rural, pré-custeio e seguro rural.

 

“A maior preocupação do governo, no momento, é realizar o levantamento das perdas agrícolas e o impacto delas sobre a renda dos agricultores”, diz o secretário. “Vamos avaliar e estudar a melhor forma de adotar medidas que amenizem a situação dos produtores.”

 

Quebra de safra

Embora ainda não se tenha a exata dimensão do tamanho da quebra da produção gaúcha, um levantamento preliminar do Instituto Rio-Grandense do Arroz indica que a safra 2015/2016 do cereal poderá sofrer perdas superiores a 15%.

 

A expectativa da Companhia Nacional de Abastecimento, em dezembro de 2015, era de uma colheita de 8,1 milhões de toneladas no Estado, prevista para ocorrer entre março e em abril deste ano.

 

Para o secretário de Política Agrícola, não há razão para se preocupar com o abastecimento na mesa do consumidor. “O setor privado tem estoque, e o governo dispõe de 120 mil toneladas do arroz em casca armazenadas”, diz Nassar.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais