Helicoverpa armigera
DATA: 24/11/2015

Mapa lança programa de defesa agropecuária em fronteiras

Serão investidos R$ 125 milhões para o fortalecimento de ações sanitárias e fitossanitárias em 15,7 mil quilômetros de fronteira nos próximos cinco anos

A ministra Kátia Abreu lançou na terça-feira (23/11) o Programa de Vigilância em Defesa Agropecuária na Faixa de Fronteira, que prevê R$ 125 milhões em cinco anos para o fortalecimento de ações sanitárias e fitossanitárias nos 15,7 mil quilômetros de fronteira brasileira.

 

O Programa de Vigilância em Defesa Agropecuária na Faixa de Fronteira está estruturado em quatro componentes: fortalecimento institucional, comunicação e educação continuada, sistema de gestão territorial aplicado à faixa de fronteira e informação e inteligência.

 

Para os dois primeiros componentes, os estados fronteiriços e o Mapa investirão RS 125 milhões em computadores, equipamentos de comunicação móvel, veículos, embarcações especiais, drones, softwares, cursos, workshops e material didático e de divulgação.

 

Do montante previsto, R$ 35,2 milhões serão investidos no primeiro ano e o restante entre o segundo e o quinto ano de execução do programa. O objetivo é fortalecer a estrutura e a capacidade para coleta, processamento e transmissão de dados e informações nos órgãos estaduais de defesa agropecuária, nas Superintendências Federais de Agricultura e nas unidades do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) atuantes na faixa de fronteira.

 

O programa vai implementar um sistema de gestão territorial com participação também do setor privado e do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin). A finalidade é integrar toda a cadeia produtiva no suporte à gestão do risco sanitário, fitossanitário e de saúde pública associado ao ingresso de mercadorias de interesse agropecuário.

 

O Ministério da Agricultura (Mapa) também lançou a Força Nacional do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (FN-SUASA) e processo eletrônico de exportação Canal Azul. As três iniciativas fazem parte do Plano de Defesa Agropecuária 2015-2020 (PDA) apresentado pelo Mapa em maio, que é um dos principais eixos que norteiam a gestão de Kátia Abreu no ministério.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.