DATA: 11/11/2015

Mais de R$ 600 milhões serão investidos em portos do Espírito Santo

Nesta semana foi confirmado o investimento de R$ 60 milhões para um novo Terminal de Uso Privado no Estado

“Temos a previsão de investir mais de R$ 600 milhões no setor portuário do Espírito Santo’’, afirmou o ministro da Secretaria de Portos, Helder Barbalho, após anunciar, em solenidade em Vitória, dois importantes contratos para o crescimento portuário do estado.

 

Um dos investimentos anunciados pelo ministro diz respeito aos arrendamentos e concessões de novas áreas portuárias, com previsão para entrarem nos blocos de licitação até o final de 2016.

 

Há também a instalação de dois Terminais de Uso Privado (TUPs) no estado: Itaoca e Nutripetro. Ambos estão em processo de avaliação e poderão ser assinados nos próximos meses, gerando investimentos de R$ 600 milhões.

 

Neste momento, a população já pode comemorar o investimento de R$ 60 milhões do mais novo TUP no Estado. O contrato, assinado nesta segunda-feira (9/11) pelo governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, pelo ministro Helder Barbalho e pela empresa Imetame, prevê mais oportunidades e crescimento para o setor. A Imetame vai operar no município de Aracruz, a cerca de 80 quilômetro da capital do estado, Vitória.

 

Entre as atividades do terminal estão a montagem de equipamentos da indústria offshore e seu transporte em embarcações do tipo AHTS (específica para operações offshore).

 

O outro contrato anunciado durante a cerimônia foi relativo às obras de dragagem e derrocagem do Porto de Vitória. A assinatura do 2º Termo de Aditivo exigirá que as obras estejam prontas em outubro de 2016, permitindo que a movimentação de cargas tenha um aumento de 40%.

 

Atualmente, o Porto comporta navios de até 40 mil toneladas. Com as obras, navios de 50 a 60 mil toneladas poderão trafegar pelo canal de acesso, transportando mais produtos e aumentando a movimentação e a competitividade.

 

Segundo o ministro, o setor portuário brasileiro teve um crescimento de quase 5% entre 2014 e 2013 e este é o momento para encontrar caminhos para que o Brasil cresça e se desenvolva.

 

“A orientação da presidenta Dilma Rousseff é de construir um ambiente adequado para que o setor privado possa investir no setor portuário, se associar aos investimentos do setor público e construir o cenário adequado de competitividade, diminuição de custo e segurança para que o Brasil possa, efetivamente, garantir a exportação cada vez maior, aproveitando o cenário econômico nacional e mundial que estamos vivendo”, completou o ministro.

 

As obras de dragagem possibilitarão um aumento da profundidade do canal de 11,4 metros para 14 metros, o que permite que navios com calado de 12,5 metros, tipo Panamax, possam embarcar e desembarcar pelo Porto com mais eficiência e produção.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.