DATA: 10/02/2016

Lista para registro de defensivos agrícolas aumenta oferta de produtos

Com a lista divulgada pelo Mapa, as substâncias serão consideradas prioritárias para análise técnica

O Ministério da Agricultura (Mapa) divulgou recentemente lista com os princípios ativos mais importantes para a fabricação de defensivos agrícolas e a relação de pragas e doenças que causam maior risco às lavouras. A medida, publicada no Diário Oficial da União (DOU), em 27 de janeiro, atende a um antigo pleito da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) visando a definição das substâncias consideradas prioritárias para agilizar a oferta de mais agroquímicos no mercado, a fim de evitar prejuízos econômicos à produção.

 

Na avaliação da CNA, a decisão amplia as possibilidades de os produtores rurais contarem com maior variedade, resultando em defensivos mais baratos com preços mais competitivos, reduzindo o peso destes insumos no custo de produção. A iniciativa também viabilizaria a rotação de ingredientes ativos, diminuindo a resistência de pragas e doenças à aplicação dos agroquímicos. Com a lista divulgada pelo Mapa, as substâncias serão consideradas prioritárias para análise técnica com vistas à fabricação dos produtos.

 

Entre as pragas e doenças consideradas de maior risco à atividade agrícola, está a Helicoverpa armigera, que ataca culturas como soja, milho, algodão e hortaliças, entre outras. Também foram incluídas na relação a broca do café, bicudo do algodoeiro, ferrugem da soja, mofo branco e a mosca branca. Assim, serão priorizados, para fins de pedidos de registros de produtos os ingredientes ativos utilizados no combate a estas e outras doenças. Acesse a íntegra da decisão no DOU, clicando aqui.

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais