DATA: 01/12/2015

Kátia Abreu constata interesse estrangeiro em agronegócio e infraestrutura

Ministra apresentou oportunidades de investimentos durante missão oficial à Ásia

As viagens internacionais da ministra da Agricultura, Kátia Abreu, são um termômetro para medir o interesse de empresários estrangeiros em investir no Brasil, principalmente no agronegócio e em projetos de infraestrutura.

 

Ela apresentou o potencial de crescimento da produção nacional, especialmente no Matopiba, (região formada pelos estados do Maranhã, Tocantins, Piauí e Bahia) e destacou a prioridade que o governo vem dando ao escoamento de alimentos pelo chamado Arco Norte.

 

Desta vez, a ministra constatou, durante missão de 6 a 19 de novembro, que Arábia Saudita, Emirados Árabes, Índia e China foram receptivos à possibilidade de investimentos no país e de abrirem seus mercados a produtos brasileiros. Entre as conquistas obtidas pela missão, estão o fim do embargo saudita à carne bovina e a habilitação pela China de sete novas plantas frigoríficas para exportação.

 

Kátia Abreu afirmou que os países árabes podem contar com o Brasil como fornecedor estável e seguro de alimentos, uma vez que os governos da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes decidiram parar de produzir grãos devido à escassez de água em seus territórios. Grandes traders e holdings árabes do ramo alimentício demonstraram interesse em investir no Matopiba, como as sauditas Salic, Al Munajem Group e Arasco e as emiráticas Al Dahra e Al Ghurair Investments.

 

“Começamos a mapear quais países seriam escolhidos para essa parceria em prol da segurança alimentar do nosso povo. Entre as condições estavam boa relação com a Arábia Saudita, estabilidade política e oportunidades de produção. O Brasil reúne todas essas condições, é um país amigo e estável”, diz Abdullah A. Al-Dubaikhi, o presidente da Salic, empresa que pretende investir em produção de milho, soja, açúcar e carne vermelha no Brasil.

 

Interessada em importar arroz, frutas, vegetais e ração, a empresa Al Dahra enviará ao Brasil uma missão técnica para identificar oportunidades de investimento em agropecuária. “Não temos água suficiente para alimentar o Oriente Médio e a solução é firmar parcerias. O Brasil é país muito importante para nós. Sei que agora estamos com as pessoas certas e estamos animados para dar início à nossa cooperação”, diz o CEO Abdulmalik Abdullah Al-Husseini.

 

Kátia Abreu afirmou aos empresários e às autoridades dos dois países que o Matopiba terá um projeto específico de desenvolvimento e destacou que o Plano de Investimento em Logística (PIL) prevê R$ 198,4 bilhões em concessões de rodovias, ferrovias, portos e aeroportos, melhorando a logística de escoamento da produção de alimentos.

 

O Mapa enviará aos empresários árabes planos de negócios sobre diversas atividades que podem ser praticadas no Matopiba, como irrigação, cultivo de frutas, criação de peixes e bovinos e florestas plantadas. O ministro da Agricultura do Reino da Arábia Saudita, Abdulrahman Al Fadhly, disse estar “ansioso” para conhecer melhor o potencial produtivo do Matopiba e destacou a necessidade de colocar investidores brasileiros e sauditas em contato direto. “É um projeto excelente, estou entusiasmado”, afirma.

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais