Porto de Paranaguá.
DATA: 03/11/2015

Investimentos no Porto de Paranaguá são os maiores das últimas décadas

Em quatro anos e 10 meses foram aplicados R$ 511,9 milhões na modernização dos terminais

Os investimentos feitos pelo Governo do Estado na Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) são os maiores dos últimos 40 anos. Em quatro anos e 10 meses foram aplicados R$ 511,9 milhões para melhorar a infraestrutura e logística, com o objetivo de devolver a competitividade ao Porto de Paranaguá. Em contrapartida, outros investimentos no valor de cerca de R$ 423 milhões estão sendo licitados para os próximos anos, totalizando R$ 934,9 milhões para modernização dos portos do Paraná.

 

“A melhoria da infraestrutura e da gestão do Porto de Paranaguá faz parte da política de desenvolvimento econômico do governo, que abrange também incentivo para atração de novos empreendimentos e investimentos na infraestrutura”, diz o governador Beto Richa.

 

Foram adquiridos 4 novos shiploaders (equipamento que carrega com grãos os navios cargueiros), substituindo equipamentos da década de 70. Três deles já estão em funcionamento e operacionais e outro está sendo montado. Os novos equipamentos aumentaram a capacidade de carregamento de grãos no Corredor de Exportação em 33%.

 

RECORDES – Com isso, no mês de junho de 2015, o Porto de Paranaguá exportou 1,92 milhão de toneladas de grãos em junho. Esse volume corresponde ao maior já movimentado em um mês pelo Corredor de Exportação desde maio de 2011, quando foram exportadas 1,81 milhão de toneladas.

 

A movimentação dos primeiros seis meses do ano também foi a maior da história para o período do complexo, quando foram escoadas 8,48 milhões de toneladas de grãos pelo Corredor.

 

Outro recorde alcançado em 2015 no Porto de Paranaguá foi o de produtividade diária. O berço 214 do Corredor de Exportação, ao longo de 24 horas, embarcou 50,5 mil toneladas de soja. Os shiploaders tiveram produção efetiva de 1,206 mil toneladas por hora no período. O recorde anterior era de 40 mil toneladas.

 

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, conta que para os próximos três anos (2016 a 2018) a Appa irá investir em projetos de infraestrutura, obras de reforma em berços de atracação e ações contínuas de manutenção e dragagem.

 

“Estamos pensando os nossos portos para atender a indústria, o comércio e o agronegócio para as próximas décadas”, afirma Richa Filho.

 

FIM DAS FILAS – Em agosto, o Porto de Paranaguá completa quatro anos consecutivos sem filas de caminhões para descarregar grãos. Apesar do aumento do fluxo de veículos e do crescimento das exportações, o problema foi extinto.

 

Nos momentos mais críticos, as filas chegaram a mais de 100 quilômetros. Em março de 2003, quatro mil caminhões ficaram dias parados no acostamento da BR-277 esperando para chegar ao pátio de triagem do porto. O último registro das filas é de agosto de 2011. De janeiro a julho daquele ano, o porto recebeu 182 mil caminhões. Neste ano, foram 233 mil veículos carregados de grãos, um crescimento de 28%.

 

O fim das filas foi possível com a adoção de uma série de medidas, entre elas, o sistema Carga Online. Com a carga cadastrada no sistema, os caminhoneiros recebem uma mensagem pelo telefone celular com orientações e a autorização para descarregar em Paranaguá. Além das medidas operacionais, foram aplicados R$ 7,49 milhões em melhorias no Pátio de Triagem.

 

DRAGAGEM – Três campanhas de dragagem ampliaram o canal de Paranaguá, permitindo que navios de grande porte voltassem a atracar em Paranaguá. Também estão em andamento as melhorias viárias de acesso ao Porto.

 

No dia 6 de outubro o governador assinou um novo contrato para obra de dragagem de manutenção dos canais de acesso aos portos paranaenses. Os investimentos serão de R$ 156,9 milhões.

 

OBRAS – O governo também está fazendo a primeira reforma do cais do Porto de Paranaguá, desde 1990. Fruto de um investimento de R$ 89 milhões, a reforma vai preparar o porto para suportar operações mais pesadas e permitir a dragagem de nivelamento de todos os berços para uma profundidade maior, oferecendo mais segurança para navegação e atracação dos navios.

 

Segundo o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, a reforma do cais é mais um dos compromissos assumidos pelo governador Beto Richa para dar maior produtividade ao porto e modernizar os berços de atracação.

 

“Teremos um cais inteiramente preparado para uma dragagem que nivele a sua profundidade. Assim, todos os berços poderão operar com guindastes mais pesados e vamos poder atracar navios com cerca de 80 mil toneladas”, afirma Dividino. Hoje, os maiores navios graneleiros que chegam a Paranaguá carregam 70 mil toneladas.

 

No segmento de contêineres, no próximo ano vamos atender o maior navio porta contêiner que já atracou na costa brasileira, navios com 368 metros de comprimento por 51 de largura.

 

Além disso, o governador autorizou recentemente investimento de R$183 milhões para modernização dos berços 201 e 202 e ampliação em 100 metros do cais do berço 201 – sentido oeste. Este ano também foram adquiridas novas balanças para pesagem dos caminhões, a nova iluminação (em LED) da avenida portuária, novos tombadores e demais componentes para descarregar cargas, a aquisição de scanners para inspeção de cargas, a implantação do APPA WEB (Porto Sem Papel) e a construção da Base de Prontidão para Emergências Ambientais e ações voltadas ao monitoramento ambiental. Todos os investimentos acima listados estão em execução.

 

A iluminação de toda a área portuária reduziu o consumo e aumentou a segurança. Foram investidos R$ 21 milhões com a troca de lâmpadas tradicionais por LED.

 

ANTONINA – O Porto de Antonina foi definitivamente reativado com movimentação de cargas consistente. O município já se destaca no cenário portuário nacional por atingir movimentação superior a 1,5 milhão de toneladas/ano, e por receber o primeiro investimento em área portuária, após a lei de modernização dos Portos.

 

MEIO AMBIENTE – Em 2013 o Porto obteve a sua Licença Ambiental de Operação, após um período de dez anos operando sem licenciamento. Com isso, 30 programas de meio ambiente foram implementados, beneficiando a cidade, a população e o meio ambiente.

 

Outra importante iniciativa do Porto, em parceria com a Prefeitura de Paranaguá, foi o lançamento do Programa Porto Escola, que aplica noções de sustentabilidade e segurança para os alunos do 5º ano da rede municipal de ensino. Mais de mil alunos já visitaram o porto.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.