DATA: 17/12/2015

Indústria do cacau se fortalece no Pará

Cacauway tem nova usina de extração de manteiga de cacau e também ganhou um espaço para experimentos de fermentação das amêndoas

A fábrica da empresa Cacauway, localizada no município de Medicilândia, no sudoeste do Pará, acabou de adquirir uma usina de extração de manteiga de cacau, que em breve estará em funcionamento. O investimento foi possível por meio do Fundo de Apoio à Cacauicultura do Pará, o Funcacau. O recurso proveniente da própria comercialização do fruto possibilita o desenvolvimento de ações fundamentais para a expansão, modernização e consolidação da atividade.

 

A fábrica também ganhou um espaço para fermentação das amêndoas, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará (Ideflor). “Ele funcionará como um espaço de experimentos, com cochos para testarmos novas formas de fermentação e garantirmos ainda mais qualidade para as amêndoas que serão usadas na produção do nosso chocolate”, diz o presidente da Cacauway, Ademir Venturin. “O Funcacau foi um dos nossos ganhos para a verticalização da cadeia produtiva. Com a aquisição dessa máquina, não teremos mais que comprar a manteiga da Bahia e São Paulo para a produção do chocolate”, afirma Ademir Venturim.

 

O avanço no Pará

O Pará é o segundo maior produtor de cacau do País, e entre os municípios que se destacam no beneficiamento do fruto está Medicilândia. Na quarta-feira (16/12), o secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Hildegardo Nunes, visitou as instalações da fábricas de chocolate da Cacauway.

 

Durante a visita, ele avaliou a produção no Estado. “Estamos festejando o crescimento da cacauicultura, não só pelo ponto de vista quantitativo, pelo avanço da produção, mas também na qualidade desse cacau. Na última safra tivemos cerca de 110 mil toneladas de amêndoas produzidas, o que assegura a posição como segundo maior produtor de cacau do Brasil”, afirmou Hildegardo Nunes.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais