Indicador do café robusta sobe pelo 5º mês seguido

Segundo pesquisadores do Cepea, o aumento nos preços ainda é reflexo da baixa produção nacional

Os preços do café robusta começaram a subir no início de junho e registram consecutivos recordes nominais desde o final de julho – série iniciada em 2001. De junho até o final de outubro, o aumento chega a quase 85 reais/saca de 60 kg, passando de R$ 290 para R$ 374 – considerando-se o Indicador CEPEA/ESALQ do robusta do tipo 6 peneira 13 acima (a retirar no Espírito Santo).

Em outubro, o Indicador do robusta teve média de R$ 363,94/sc, 6,8% superior à de setembro/15 e a maior nominal da série histórica. Em termos reais (valores deflacionados pelo IGP-DI de set/15), a média do mês passado foi a maior desde janeiro/12 (R$ 379,82/sc, valor real). Segundo pesquisadores do Cepea, o aumento nos preços ainda é reflexo da baixa produção nacional, do clima seco e quente dos últimos meses no Espírito Santo e em Rondônia e do menor ritmo das exportações do Vietnã, que tem favorecido os embarques do grão brasileiro. Apesar das fortes elevações nos preços, a liquidez doméstica segue baixa, com muitos produtores ainda no aguardo de novas elevações.

 

Com informações do Cepea.

 

 

Deixe seu comentário

Leia mais