Ideflor-bio capacita técnicos em montagem de viveiros e produção de mudas

O curso teve um enfoque prático, possibilitando aos participantes aprender todo o passo a passo da técnica de montagem de viveiros

O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) promoveram entre os dias 29 de fevereiro e 4 de março uma capacitação para montagem de viveiros e produção de mudas frutíferas e florestais no município de Bragança. O curso, ministrado por profissionais da Diretoria de Desenvolvimento da Cadeia Florestal (DDF), do Instituto, foi direcionado aos técnicos que irão montar viveiros em suas áreas de origem.

 

Durante os cinco dias de curso, técnicos da Diretoria de Gestão e Monitoramento das Unidades de Conservação e da Diretoria de Gestão da Biodiversidade, do Ideflor-bio, aproveitaram as orientações para poder replicá-las na gestão de Unidades de Conservação, em especial as Gerências do Araguaia, Belém, Calha Norte I, II e III, Marajó, Nordeste, Tucuruí e Xingu. O curso teve um enfoque prático, possibilitando aos participantes aprender todo o passo a passo da técnica de montagem de viveiros, os insumos utilizados na formulação e preparo do substrato que será utilizado na produção de mudas em tubetes e sacos plásticos.

 

A DDF coordena a execução de projetos de produção e de restauração florestal, com base em Sistemas Agroflorestais (SAFs) comerciais, para fins de recuperação de áreas alteradas, promoção de incremento econômico, consolidação de práticas sustentáveis de uso e de aproveitamento dos recursos naturais, contribuindo com a redução da pressão do desmatamento sobre as áreas de floresta e com a redução do passivo ambiental em áreas de agricultura familiar.

 

Entre as estratégias de ação para implantação dos projetos desenvolvidos pela DDF, destaca-se a etapa de capacitação de técnicos e agricultores. Cerca de 40 alunos, entre técnicos do Ideflor-Bio, Emater, Incra e instituições parceiras, com destaque para as Prefeituras de São Miguel do Guamá, Santarém e Capanema participaram da capacitação, que contou com o apoio institucional da Emater, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e de Pesca (Sedap) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

 

Segundo Benito Calzarava, da Diretoria de Desenvolvimento Florestal, a capacitação veio para nivelar o conhecimento prático dos técnicos capacitados. “Queremos manter um padrão de práticas de campo do Ideflor-Bio para montagem desses viveiros. Com essa orientação, até o final de junho deste ano 68 viveiros já terão sido montados nas Unidades de Conservação”, explica o diretor.

 

Os viveiros florestais são os locais nos quais são produzidas mudas de plantas, por isso precisam reunir todas as condições necessárias para o desenvolvimento das espécies que estão em fase inicial de desenvolvimento, geralmente nativas da região onde o viveiro está instalado e destinadas ao reflorestamento – para recomposição da mata ciliar, de áreas degradadas, entre outros.

 

Deixe seu comentário

Leia mais