DATA: 19/11/2015

Greenpeace avalia o comércio de carnes nos supermercados

Relatório divulgado pela organização mostra que nenhuma das redes de varejistas participantes podem garantir a procedência do produto bovino comercializado Naiara Araújo

O Greenpeace Brasil lançou, no dia 18 de novembro, a campanha “Carne ao molho madeira”, que tem como objetivo conscientizar supermercados e consumidores sobre a origem das carnes que chegam à mesa dos brasileiros. A organização também avaliou sete redes de supermercados e revelou que a maioria não sabe a procedência das carnes comercializadas.

 

De acordo com o relatório Carne ao Molho Madeira – Como os supermercados estão ajudando a devastar a Amazônia com a carne de suas prateleiras, 40% da carne produzida ainda tem origem desconhecida. Atualmente, nenhuma rede de supermercado tem a capacidade de garantir que 100% das carnes vendidas estão livres de qualquer crime contra o meio ambiente.

 

A campanha do Greenpeace Brasil cobra rastreabilidade, um tema recorrente entre os pecuaristas e grandes frigoríficos, que tem como objetivo garantir a origem dos alimentos e agregar valor ao produto, fechando o mercado de carnes para quem não cumprir as exigências.

 

Desde 2009, os três maiores frigoríficos do País, JBS, Minerva e Marfrig, comprometeram-se a comprar somente bovinos de fazendas que estejam livres de casos que envolvem desmatamento, trabalho escravo e conflitos indígenas. O acordo ficou conhecido como Compromisso Público da Pecuária.

 

Para marcar o início da campanha, a organização está realizando uma ação nas lojas do Pão de Açúcar, rede com pior avaliação em relação ao monitoramento da carne que comercializa. Acesse o relatório completo aqui.


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais