Governo de Tocantins pretende impulsionar cadeia produtiva de arroz

Durante reunião os representantes efetivaram a criação do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Arroz no Tocantins (Proato)

A produção de arroz no Tocantins, a terceira atividade econômica de grãos recebe incentivos no uso de novas tecnologias para impulsionar a cadeira produtiva da rizicultura no Estado. No dia 18 de janeiro, representantes da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Instituto do Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), se reuniram para debater sobre as estratégias de incentivo a cadeia produtiva do arroz no Estado.

 

Na reunião, que aconteceu na Secretaria da Agricultura, foi efetivada a criação do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Arroz no Tocantins (Proato), a ser lançado ainda no primeiro semestre deste ano. Dentre as ações a serem executadas pelo Proato em 2016 constam, seminários e dias de campo, que serão realizados nas regiões de potencial do arroz irrigado, como Formoso do Araguaia e Lagoa da Confusão.

 

A Embrapa desenvolveu pesquisas de dez novas variedades adaptadas ao clima e solo tocantinense, com alta produtividade, tolerância a doenças e de boa qualidade de grãos. Para o pesquisador da Embrapa, Daniel Fragoso, uma grande vantagem destas variedades é a resistência à brusone, doença mais comum do arroz.

 

“Com isso a variedade possui ganho ambiental na redução do uso de agrotóxico nas lavouras de arroz, melhorando a qualidade do grão na mesa do consumidor”, conta, acrescentando que as atenções também são voltadas para a produção do arroz de terras altas.

 

Segundo o diretor de Políticas para Agricultura e Agronegócio da Seagro, José Américo Vasconcelos estas tecnologias devem ser difundidas para todos os produtores tocantinenses. “A nossa intenção é levar aos produtores essa oportunidade de expandir a produção com sementes de alta qualidade produtiva e adaptadas a nossa realidade. O Tocantins possui este potencial, portanto buscamos impulsionar essa cadeia de grande importância econômica para o Estado”, diz.

 

Deixe seu comentário

Leia mais