caqui
DATA: 01/03/2016

Governo de São Paulo entrega Packing House em Pilar do Sul

Os equipamentos vão beneficiar cerca de 70 produtores da região

Para aprimorar o padrão de qualidade do caqui e da atemoia exportados para o Canadá, Dubai e países europeus, o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, inaugurou, no dia 28 de fevereiro de 2016, o Packing House para seleção, processamento e embalagem de frutas da Associação Paulista dos Produtores de Caqui (APPC), em Pilar do Sul, que atenderá cerca de 70 produtores da região.

 

Arnaldo Jardim ressaltou que a iniciativa tende a diminuir a distância entre o conhecimento e o produtor para prepará-lo para atender às demandas do mercado. “Hoje estamos celebrando a entrega dessas novas instalações, que permitirão que os produtos sejam negociados numa condição muito mais favorável ao produtor, acentuando os seus ganhos”, diz.

 

Equipamentos

Entre os equipamentos adquiridos estão uma máquina para a classificação, duas câmaras frias para armazenar cinco mil quilos de frutas cada, duas empilhadeiras para o manuseio de 1,5 e duas toneladas de produtos, um transpalete com balança de duas mil toneladas; e uma embaladora automática, capaz de preparar 24 bandejas por minuto. O local também recebeu um climatizador e ar condicionado, além de um computador com impressora de código de barras, para garantir que os produtos tenham todos os requisitos necessários para a comercialização no mercado.

 

O valor total do projeto foi de R$ 1.145.953,00, dos quais R$ 800.000,00 provêm do Governo do Estado, com a contrapartida de R$ 345.953,00 da Associação, financiados por meio de linha de crédito do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap). “Falamos que este dinheiro é investido pelo Governo Paulista a fundo perdido, pois o Estado não espera o seu retorno, mas na verdade este é um fundo para o futuro, um investimento na agricultura paulista. E se os produtores estão sendo beneficiados por esse desenvolvimento, a sociedade também está”, diz o secretário.

 

Para o presidente da APPC, Shuji Gocho, a estrutura permitirá ampliar o controle de qualidade e o beneficiamento para exportação e também apara atender ao mercado interno. “Estamos nos habituando aos avanços tecnológicos de logística e distribuição, para que as frutas cheguem mais frescas aos consumidores. Será um grande incentivo, pois, consequentemente, a qualidade da produção gerará um retorno, fazendo com que cada produtor se sinta mais satisfeito e orgulhoso de sua profissão, e possa trabalhar com mais fôlego e disposição para servir à sociedade”, afirma.

 

A Associação foi contemplada na 4ª chamada do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias II – Acesso ao Mercado, do Governo do Estado, que é executado pela Secretaria, por meio da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), com o objetivo de ampliar a competitividade ao pequeno agricultor.

 

Por meio do Projeto, a Associação já adquiriu um caminhão e mil caixas plásticas para agilizar o transporte da produção, que inclui ainda ameixas, lichias, Guinnan (semente de Gingko Biloba), Tangor Kinsei (cruzamento de laranja e tangerina) e a uva Pilar Moscato, variedade do fruto desenvolvida na região de Sorocaba.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais