DATA: 23/11/2015

Fiscais apreendem 13 toneladas de queijo na Serra da Canastra

A destruição do produto de leite cru produzido pela agricultura familiar de São Roque de Minas tem prejuízo estimado em R$ 120 mil

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) apreendeu 13 toneladas de queijos de leite cru produzidos pela agricultura familiar na Serra da Canastra. A ação aconteceu na quinta-feira, dia 12 de novembro, em São Roque de Minas (MG). Os queijos estavam em dois galpões, armazenados em câmaras frias, e pertenciam a um grupo de queijeiros da região.

 

De acordo com informações da ONG SertãoBras, a justificativa para a destruição dos produtos, depois de não confirmada uma denúncia de rótulos falsos, foi “manter em estoque e comercializar queijos sem registro em órgão fiscalizador e sem identificação de origem.”

 

O queijo apreendido foi produzido por cerca 250 famílias de São Roque de Minas, que dependem da atividade para sobreviver. A carga foi avaliada em R$120 mil. Os produtores já haviam sido pagos pelos comerciantes de queijos, que arcaram com o prejuízo. Porém, a instabilidade e temor de novas apreensões fez o preço do quilo do queijo pago ao produtor se desvalorizar na região. O valor recuou de R$11,00 para R$8,00 pelo quilo do produto. A situação de informalidade e incerteza causada pelas apreensões tem levado vários produtores e distribuidores a abandonarem a atividade nos últimos anos.

 

Segundo pesquisa divulgada pelo Sebrae, ao menos 160 toneladas de queijo saem por mês dos sete municípios da Serra da Canastra. A economia de São Roque de Minas depende da fabricação dos queijos e do comércio queijeiro. A ação de apreensão foi realizada pela Polícia Federal em conjunto com o Ministério, sob a alegação de que o queijo estava impróprio para o consumo humano.

 

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.

Leia mais