DATA: 02/09/2015

Fibria investe em novo parque industrial

Ao custo de R$ 7,7 bilhões, a empresa vai expandir sua fábrica em Três Lagoas (MS)

A Fibria, empresa produtora de celulose de eucalipto, apresentou ao mercado as estratégias financeiras para pôr em prática o Projeto Horizonte 2, que ampliará a capacidade de produção de sua Unidade de Três Lagoas, localizada no estado do Mato Grosso do Sul, com investimentos de R$ 7,7 bilhões.

 

A nova operação da Fibria em Três Lagoas terá um dos menores custo-caixa para a produção de celulose do mundo, reduzindo o custo médio da companhia para US$ 155 por tonelada. Atualmente, a Fibria já tem um dos menores custo-caixa do setor, em US$ 170/tonelada no segundo trimestre deste ano, frente a um custo médio no Brasil de US$ 214/tonelada e de US$ 421/tonelada nos Estados Unidos, segundo o consultor Hawkins Wright.

 

“Temos neste projeto uma equação única de competitividade, que reúne suprimento de madeira, infraestrutura e logística, certificações, clientes de longo prazo e excelente estrutura financeira, difícil de ser replicada no mercado”, comenta Marcelo Castelli, presidente da companhia.

 

O novo parque industrial terá processos produtivos ainda mais limpos, tendo toda a energia consumida gerada na própria fábrica, a partir de biomassa resultante do processo industrial. O projeto, além de gerar e consumir a própria energia, produzirá um excedente de 120 MWH, adicional ao excedente de 70MWh gerado hoje por toda a empresa.

 

Além disso, o projeto prevê o uso eficiente dos recursos hídricos no processo industrial, considerando que cerca de 80% da água captada é reciclada e recircula entre 3,5 e cinco vezes no processo produtivo antes de ser tratada e devolvida ao meio ambiente.

 

Outra vantagem para a Fibria será o acesso à madeira. Com a nova fábrica, a distância média da floresta para abastecimento da linha atual de produção e da nova linha na Unidade de Três Lagoas ficará em apenas 95 quilômetros. Com o início da operação prevista para o quarto trimestre de 2017, a nova linha de produção terá capacidade de 1,75 milhão de toneladas de celulose por ano.

 

Com a entrada da segunda fábrica em Três Lagoas, a capacidade total de produção da Fibria, considerando-se todas as suas unidades, passará dos atuais 5,3 milhões de toneladas de celulose por ano para mais de sete milhões de toneladas de celulose por ano. A celulose produzida pela Fibria em Três Lagoas, além de ser vendida ao mercado interno, é levada por transporte ferroviário até o Porto de Santos (SP), de onde é exportada para os mercados europeu, norte-americano e asiático.

 

Para colocar o projeto em prática, a Fibria vai contratar US$ 400 milhões em empréstimo sindicalizado e ofertar R$ 500 milhões em títulos de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA). O Projeto Horizonte 2 deve contar ainda com financiamentos de outras fontes, como agências de créditos de exportação (ECAs), BNDES e Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO). Além disso, cerca de 40% dos investimentos para a obra devem ser realizados com capital próprio da companhia.

 

Segundo o diretor de Finanças e Relações com Investidores da Fibria, Guilherme Cavalcanti, a forte geração de caixa e a estratégia financeira desenhada permitirão que a empresa mantenha a alavancagem atual em dólar abaixo de 2,0 vezes, mesmo com o investimento de R$ 7,7 bilhões.


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.