DATA: 23/02/2016

Fazendas gaúchas investem em turismo rural

Os visitantes podem conferir belezas naturais, fazer passeios a cavalo, participar de pescarias, banho de rio e trilha pela mata

Além de preservar a história dos povos missioneiros, São Miguel das Missões passa a se destacar pelo turismo rural. A 15 quilômetros da sede do município, por exemplo, a família de Zelaine Calegaro Castanho recebe turistas em um local que reúne rusticidade e aconchego: a Fazenda da Laje.

 

Em um roteiro pelo local, os visitantes podem conferir belezas naturais, fazer passeios a cavalo, participar de pescarias, banho de rio e trilha pela mata. “Na caminhada guiada podem ser conferidos os vestígios de uma pedreira missioneira usada no século XVIII pelos índios guaranis e padres jesuítas para a construção dos prédios do Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo”, diz Zelaine, que também conta com o apoio do marido e do filho para o trabalho na propriedade. Por muitos anos, a origem das pedras era desconhecida, sendo que o mistério foi revelado recentemente, em visita historiadores e técnicos ao local.

 

A família oferece almoço e lanche com produtos coloniais e pratos típicos da região, elaborados pela família no fogão a lenha, com a maior parte da matéria-prima produzida na propriedade. Os visitantes podem acompanhar a lida da ordenha e tratos dos animais e hospedar-se em moradia com dois quartos, sala, cozinha e banheiro.

 

 

Contexto do turismo rural

Para estruturar uma propriedade voltada ao turismo rural e receber visitantes é importante que a família se prepare. Embelezamento de arredores, saneamento básico, organização de roteiros e horários, alimentação, entre outros aspectos, devem ser levados em conta.

 

A extensionista da Emater/RS-Ascar, Fátima Zink Primaz, destaca também que o turismo rural não envolve apenas uma propriedade familiar, mas envolve também os vizinhos e a comunidade em geral, com suas contribuições. “O empreendimento da Fazenda da Lage, por exemplo, vem crescendo a cada ano, sendo que desde 2012 têm aumentado os investimentos e melhorias na propriedade”, conta Fátima, que acompanha o desenvolvimento do turismo na propriedade, desde o início.

 

Neste ano a Emater/RS-Ascar deve promover um encontro com a comunidade para discutir o turismo rural e as formas como cada um pode contribuir e ser beneficiado. Para outras orientações deve-se procurar o escritório municipal da Emater/RS-Ascar.

 


Comente essa notícia.

Faça seu cadastro ou login gratuito para enviar comentários.